Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/12/2005 - 22h26

Universitários disputam campeonato mundial de aviões de papel

Publicidade

ADRIANA CHAVES
da Agência Folha

Universitários de diversos pontos do Brasil estão disputando as etapas regionais de um campeonato mundial de aviões de papel. A final está prevista para maio de 2006, na Áustria, e reunirá representantes de 48 países. O Rio Grande do Sul já selecionou três competidores para a eliminatória nacional, cuja data ainda não foi definida.

Os estudantes de universidades públicas e particulares concorrem em três modalidades: acrobacia, aerodinâmica e tempo de vôo. A final gaúcha aconteceu no início da noite de quinta-feira (1º), no Complexo de Desporto e Lazer da Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos), em São Leopoldo (35 km de Porto Alegre).

São Paulo e Minas Gerais definem seus finalistas no sábado (3). No próximo dia 11, os estudantes pernambucanos disputam a etapa em Recife e, no dia seguinte, ocorre a final no Rio de Janeiro.

Os vencedores terão direito a passagens aéreas para a etapa que definirá os representantes nacionais para a competição mundial.

O torneio, batizado de Red Bull Paperwings, conta com o apoio da empresa Redbull e dos diretórios de universidades como a USP (Universidade de São Paulo), PUC (Pontifícia Universidade Católica), UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), Unisinos etc.

Segundo a organizadora da etapa gaúcha, Flávia Souza, os aviões das modalidades de distância e tempo de vôo foram construídos na hora, sem ajuda de cola ou tesoura. "É uma forma de nivelarmos as chances dos competidores."

Selecionados

Na categoria distância, o estudante de publicidade Daniel Dauber, 20, foi o vencedor da etapa gaúcha, com 26m11cm. Em sua primeira participação nesse tipo de competição, ele também se destacou na modalidade tempo de vôo, chegando à segunda colocação.

"Foi sorte de principiante. Achei interessante a competição, uma coisa nova. Informei-me sobre os modelos e fui treinando a dobra. Quando era criança, até brincava com esses aviões no colégio, mas não tinha muita habilidade", disse Dauber.

Ainda na final realizada no Rio Grande do Sul, Filipe da Silva Soares venceu a categoria de tempo, com 9'69. Na modalidade acrobacia, o ganhador foi Gustavo André Marini Karnas.

Campeonato

A disputa segue as regras internacionais estabelecidas pela PPA (Paper Aircraft Association), que define também os critérios para recordes mundiais.

As provas são realizadas em locais fechados, sem vento, com duas tentativas por participante e por categoria disputada. Uma fita métrica padronizada e com dispositivo a laser e um cronômetro, respectivamente, medem os resultados.

No caso dos vôos acrobáticos, os concorrentes podem usar aviões pré-construídos e sem restrição de tamanho de papel.

Para os participantes das modalidades de distância e tempo de vôo, o papel é fornecido pela organização do torneio, seguindo o formato padrão A4 de 80g, e os aviões devem ser inteiramente construídos no local. Um júri atribui pontos às manobras.

Colaborou RACHEL AÑÓN, da Agência Folha
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página