Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/06/2006 - 07h09

Guerra de espadas deixa 98 feridos na BA

Publicidade

LUIZ FRANCISCO
da Agência Folha, em Salvador

Uma das mais tradicionais manifestações juninas da Bahia, a "guerra de espadas" de Cruz das Almas (146 km de Salvador) deixou nesta sexta 98 feridos, antes mesmo do principal confronto entre os "grupos rivais", que acontece amanhã.

Segundo a Polícia Militar, o número de feridos poderia aumentar porque à noite outras "batalhas" estavam previstas para acontecer na cidade.

Com máscaras e roupas especiais para se proteger dos foguetes, os "guerreiros" chegam à concentração (as praças previamente marcadas para o confronto) no começo da tarde.

De acordo com médicos que estavam de plantão nos hospitais e clínicas da cidade, a maioria dos feridos foi atingida no rosto e nas mãos --até o começo da noite, 12 continuavam internados, três em estado grave.

Moradores de Cruz das Almas e Senhor do Bonfim (BA), outra cidade que tem na "guerra de espadas" a sua principal atração junina, encaminharam às prefeituras um abaixo-assinado para disciplinar os confrontos.

Apesar da recomendação das duas prefeituras, pelo menos 8.000 guerreiros participaram das batalhas à tarde. Quem mora no centro costuma fechar com tapumes as suas casas para evitar que os estilhaços atinjam o interior de suas moradias.

Somente em Cruz das Almas, a PM estima a comercialização de 250 mil espadas durante os festejos juninos --o preço de cada artefato varia de R$ 30 a R$ 150, dependendo do tamanho e do volume de pólvora.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre guerras de espadas
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página