Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/09/2006 - 21h20

Biblioteca Mário de Andrade descobre furto de obras raras

Publicidade

da Folha Online

A direção da biblioteca municipal Mário de Andrade, no centro de São Paulo, divulgou nesta quarta-feira o furto de obras raras que faziam parte de seu acervo.

A direção da biblioteca ainda faz um levantamento para avaliar o tamanho do prejuízo, mas já foi constatado o sumiço de 42 gravuras do artista francês Debret (1768-1848), 58 gravuras do alemão Rugendas (1802-1858), três litografias de Burmeister, a série "Souvenirs do Rio de Janeiro", com 12 gravuras Johann Jacob Steinmann e o livro de orações "Hore intemerate Beate Marie Virginis", edição de 1501.

O diretor da biblioteca, Luis Francisco Carvalho Filho, afirmou que não é possível afirmar quando o furto ocorreu, mas acredita que as obras foram levadas em várias ocasiões diferentes.

Nenhum sinal de arrombamento foi encontrado na biblioteca. A principal suspeita é de que os furtos tenham ocorrido com a conivência de funcionários.

Rio

Em junho, o Arquivo Geral da Cidade, no Rio, também constatou o furto de obras de Debret. Segundo a prefeitura, 87 pranchas de gravuras do artista foram levadas, além de uma coleção de 227 estudos do pintor Lúcio de Albuquerque.

Em fevereiro, quatro homens armados invadiram o museu Chácara do Céu, em Santa Teresa, centro do Rio, e levaram telas de Salvador Dalí, Pablo Picasso, Claude Monet e Henri Matisse.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a biblioteca Mário de Andrade
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página