Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/10/2006 - 12h28

Retirada de peixes mortos prossegue no rio dos Sinos

Publicidade

LÉO GERCHMANN
da Agência Folha, em Porto Alegre

A Fepam (Fundação de Proteção ao Meio Ambiente) autuou ontem três empresas como responsáveis pelo desastre ambiental que provocou a morte de uma quantidade estimada em em pelo menos 42 toneladas de peixes de 12 espécies no rio dos Sinos (RS).

As empresas, uma do setor alimentício e duas calçadistas, não foram identificadas. Também não foi informado o valor da multa a ser aplicada.

Será publicada portaria no Diário Oficial do Estado prevendo a proibição do despejo de poluentes no arroio Portão, a redução em 30% da vazão de todo e qualquer detrito que é jogado nos afluentes da Bacia do Sinos e o estabelecimento de prazo de 180 dias para que os 32 municípios do Vale do Sinos elaborem planos de saneamento e redução da poluição dos rios da região.

Outras indústrias ainda podem ser autuadas. O trecho onde a situação está mais crítica fica entre os municípios de São Leopoldo e Sapucaia do Sul (cerca de 30 km de Porto Alegre).

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre crimes ambientais
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página