Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/06/2000 - 15h23

Refém morta no Rio teve cinco ferimentos à bala

Publicidade


LARISSA SQUEFF, repórter da Folha Online

O diretor do hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro, o médico Edson Paixão, disse na tarde desta terça-feira (13), que a professora Geisa Firmo Gonçalves, 20, morta na segunda (12), depois de um sequestro, apresentava cinco ferimentos à bala.

Segundo Paixão, Geisa já chegou ao hospital em estado grave. Ela apresentava orifícios de bala no pescoço, tórax e abdome. A professora também foi atingida de raspão na mandíbula e no punho.

"Não sabemos dizer quantos tiros ela levou. Apenas podemos verificar os ferimentos. Se cinco ou três balas a atingiram somente a perícia será capaz de dizer", afirmou o diretor.

Paixão disse ainda que assim que Geisa chegou no hospital, por volta das 19h15, foi levada imediatamente para a sala de cirurgia. Ela morreu menos de meia hora mais tarde. O hospital não sabe afirmar se ela estava grávida.

"Não tivemos tempo de fazer um ultra-som. Ela estava muito mal e a única alternativa foi levá-la para o centro cirúrgico", disse ele.


Clique aqui para ler toda a cobertura do caso na página especial Pânico no Rio

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página