Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/06/2000 - 23h40

Policial usou submetralhadora para tentar acertar sequestrador de ônibus no RJ

Publicidade

da Folha de S.Paulo

De acordo com especialistas em armamentos, a arma utilizada pelo policial que tentou atirar no assaltante que sequestrou um ônibus na última segunda-feira (12), na zona sul do Rio de Janeiro, trata-se de uma submetralhadora HK modelo MP-5, que possui grande poder de destruição para ações rápidas.

De fabricação alemã, usada hoje pelos principais grupos antiterrorismo do mundo, como a Swat (Special Weapons And Tactics Team), nos EUA, a submetralhadora é um fuzil pequeno e permite três tipos de disparos: tiro intermitente (um a um), rajada de três (dependendo do modelo pode ser mais) e rajada completa (descarrega toda a munição).

Seu carregador pode levar de 30 a 40 projéteis. A submetralhadora é recomendada para curta e média distância. Tem precisão até 50 metros do alvo com o tiro intermitente. A rajada dificulta a pontaria do atirador

Risco

A arma é contra-indicada para tiro quando o alvo, um sequestrador, por exemplo, está próximo do refém, porque o projétil tem força suficiente para atravessar o corpo dos dois.

Ainda segundo os especialistas, nesse tipo de situação, a arma mais indicada seria a pistola.

Clique aqui para ler toda a cobertura do caso na página especial Pânico no Rio

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página