Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/06/2007 - 09h23

Polícia apreende arma que destrói blindados

Publicidade

MÁRCIA BRASIL
da Folha de S.Paulo, no Rio

Operação das polícias Federal e Civil e da Força Nacional de Segurança apreendeu anteontem um lança-rojão que, segundo a polícia, destrói carros e, dependendo da distância, até veículos blindados. O armamento tinha como destino a favela da Rocinha, em São Conrado, zona sul do Rio, segundo afirmaram em depoimento as duas pessoas presas transportando o lança-rojão.

De acordo com investigações da PF, o lança-rojão, de fabricação americana, foi usado na guerra das ilhas Malvinas (conflito armado entre a Argentina e a Inglaterra, em 1982, pela posse do arquipélago) e teria sido desviado de quartéis da Argentina ou do Paraguai.

Além do lança-rojão, foram apreendidas duas pistolas e cerca de 800 balas para fuzis de calibres 762 e 556. O material estava em um carro na rodovia Rio-Santos, na altura de Itaguaí, Baixada Fluminense.

O armamento saiu de Mato Grosso do Sul. As duas pessoas que estavam no veículo, entre elas uma adolescente grávida, foram presas em flagrante.

O lança-rojão foi avaliado pelos policiais em US$ 4.500 (R$ 8.730). Em depoimento à Polícia Federal, o motorista do carro, Maicon Henrique do Nascimento, 19, declarou que receberia R$ 3.000 para transportar as armas. Já a adolescente de 16 anos que o acompanhava, grávida de quatro meses, afirmou que aceitou participar da viagem por R$ 1.000.

Segundo o casal, o local de entrega só seria definido depois que a dupla recebesse ligação da pessoa responsável pelo recebimento do armamento.

Nascimento disse que saiu com o armamento de Vila Nova, no município de Mundo Novo (MS), onde mora. Declarou o Paraguai como origem das armas e da munição.

As investigações da PF apontam que a origem das armas é a cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Na operação para interceptar o carregamento das armas, foram montadas três barreiras policiais, com a participação de 60 homens.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página