Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/11/2001 - 23h47

Fugitivos roubam carros na região do Carandiru, zona norte de SP

Publicidade

da Folha de S.Paulo

"Eu vi o pessoal correndo, gritando e fugindo. Daí, fui atrás." Esta foi a afirmação de um dos primeiros fugitivos da Penitenciária do Estado recapturado pela polícia. Ele estava nas proximidades do presídio, localizado na zona norte de São Paulo.

Sujo, o preso não sabia dizer onde estava. "Eu saí de um bueiro e já fui pego", afirmou.

Segundo a polícia, outros detentos recapturados afirmaram, já no 9º Distrito Policial, que o túnel cavado por eles era uma "verdadeira obra de arte" e que não tiveram a ajuda de ninguém para arquitetar o plano de fuga.

Nas proximidades da penitenciária, dois homens e uma mulher tiveram os carros roubados pela manhã. Os três casos foram praticados por fugitivos.

Uma das vítimas foi o taxista Benedito Américo Pereira, 66. Ele foi abordado por três homens na esquinas das ruas Duarte de Azevedo com Gabriel Pisa.

"Quando eu estava entrando no posto de gasolina, um se jogou na frente do carro, me puxou pra fora pela camisa enquanto os outros dois entravam", afirmou.

Pereira chegou a ver os três homens correndo pela rua, mas não desconfiou de nada. "Eu achei que fosse uma brincadeira deles. Só fui perceber quando um deles pulou na frente do carro. Eles estavam sem camisa e muito sujos."

O carro de Pereira, um Gol branco, foi achado em Pirituba, na zona norte da capital. "Só espero que eles não tenham levado meus documentos e nem o dinheiro que deixei no carro."

A fuga desta segunda-feira foi a maior já registrada no Complexo do Carandiru. Por um túnel, 108 detentos escaparam da Penitenciária do Estado. Pelo menos 18 presos foram recapturados.

Em julho, 106 presos haviam fugido da Casa de Detenção, também no Carandiru.

Leia mais   sobre presídios

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página