Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/12/2001 - 16h45

Polícia torturava e extorquia traficantes na "cracolândia", diz Gaeco

Publicidade

CRISTIANE MARSOLA
da Folha Online

O Gaeco (Grupo de Trabalho de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público, ouviu 11 testemunhas que denunciaram a ação de policiais do Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) na "cracolândia".

Todas as testemunhas são mulheres, que trabalhavam como garotas de programa na região e que teriam sido extorquidas pelos policiais, segundo o Gaeco.

Os depoimentos apontam que os policiais usavam a violência para manter o controle da região. Uma das testemunhas contou que um dos policiais a teria violentado com uma mangueira.

Os pequenos traficantes e as garotas de programas usuárias de crack eram obrigadas a pagar R$ 200 ou R$ 300 semanais. Se não pagassem eram torturadas e presas.

Para se livrar da prisão era preciso pagar de R$ 1.000 a R$ 5.000 para os policiais. "O que aparece nas imagens é que, em nenhum momento, as pessoas são levadas para a delegacia. Todo o acerto é feito em um bar da região", contou Blat.

Uma testemunha, a primeira a ser ouvida, já está no Provita (Programa de Proteção e Assistência a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas). As outras dez são pessoas que foram presas na região da "cracolândia" pelos policiais acusados de corrupção.

O depoimento delas ainda não foi encaminhado para a Corregedoria da Polícia Civil. "As vidas dessas meninas são muito mais valiosas que qualquer investigação", diz o promotor de Justiça José Carlos Blat.

Como foi o flagrante
Os policiais Hélio Carlo Barba, Alessandro Ramos da Silva, Guilherme Barbosa Palazzo, José Carlos de Castilho e Mauro César Bartolomeu são acusados de tortura, abuso de autoridade, corrupção, concussão (extorsão) e associação para tráfico de drogas.

Do dia 20 a 30 de novembro, agentes do Gaeco filmaram a ação desses policiais na rua dos Protestantes. As fitas mostram os policiais aparentemente extorquindo pessoas.

Os policiais foram afastados e o Ministério Público pediu a prisão temporária dos cinco.

Leia mais:
  • Esquema de policiais na "cracolândia" pode ter até 20 pessoas


  •  Juiz decide sobre pedido de prisão de "policiais da cracolândia"


  •  Diretor do Denarc se diz "humilhado" com policiais "laranjas podres"


  • Policiaissão flagrados com traficantes

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página