Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/07/2000 - 18h01

Adiado mais uma vez depoimento do soldado que atirou contra sequestrador do ônibus

Publicidade

SABRINA PETRY , da Folha de S.Paulo, no Rio

Foi adiado mais uma vez o depoimento do soldado Marcelo Oliveira dos Santos, do Bope (Batalhão de Operações Especiais), que atirou contra o sequestrador do ônibus 174, mês passado, e acabou ferindo a refém Geísa Gonçalves.

O depoimento estava marcado para esta segunda-feira (17) na 15ª Delegacia de Polícia, na Gávea (zona sul do Rio), e foi adiado a pedido dos psiquiatras que acompanham o soldado desde o dia do sequestro, em 12 de junho, no Jardim Botânico (zona sul).

Os médicos prorrogaram por mais uma semana a licença médica de Santos e seu depoimento foi remarcado para a próxima segunda-feira, às 11h.

O soldado ainda não depôs porque entrou em licença médica, com diagnóstico de depressão. A licença terminaria, primeiramente, no dia 29 de junho, mas uma junta médica do Hospital Central da Polícia Militar examinou o soldado e concluiu que ele precisava de mais 15 dias de licença.

Hoje, a licença foi novamente prorrogada.

Depois do disparo de Santos, que atingiu o rosto de Geísa Gonçalves, o sequestrador Sandro do Nascimento deu os três tiros da mataram a refém.

Depois do caso do ônibus 174, qual seria a melhor solução para evitar cenas como aquelas? Vote

Clique aqui para ler toda a cobertura do caso na página especial Pânico no Rio

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página