Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/10/2001 - 00h00

Morte de estudante em MG pode ter sido motivada por jogo de RPG

Publicidade

RANIER BRAGON
da Agência Folha, em Belo Horizonte

A Polícia Civil de Ouro Preto (a 95 km de Belo Horizonte) afirmou nesta sexta-feira ter "convicção" de que a morte de uma estudante universitária ocorrida na madrugada de domingo tenha sido motivada por um jogo de RPG (Role Playing Game).

O corpo da estudante de farmácia Aline Silveira Souza, 18, foi encontrado nu, na manhã de domingo, em um cemitério desativado da cidade. Ele apresentava várias perfurações, feitas provavelmente por faca, estava em posição de crucificação e com as coxas e peito manchadas com o próprio sangue. Próximo ao local, um túmulo do cemitério apresentava sinais de violação.

A estudante, que morava em Manhumirim (sudeste de Minas Gerais), estava na cidade histórica com uma prima e uma amiga participando da "Festa do 12", comemoração tradicional das repúblicas estudantis de Ouro Preto.

De acordo com a polícia, elas estavam hospedadas em repúblicas da cidade e teriam participado do jogo RPG Advanced Dungeons and Dragons". No RPG, os jogadores participam de uma história, chamada de "aventura", e representam personagens que interferem no enredo.

Há um "mestre", responsável pela narrativa da história e os jogadores imaginam e descrevem para o mestre como os personagens reagem às situações apresentadas pelo narrador. Em seguida, o mestre diz qual é o resultado das ações e convida os jogadores a descrever o que farão novamente. E assim por diante.

No jogo em questão, o personagem escolhido por Aline também morreu durante a história.

A polícia ouviu várias pessoas que estiveram com a estudante desde quando ela chegou à cidade e afirmou já ter um suspeito de ter praticado o crime _um morador de uma república de Ouro Preto que teria sido visto com a vítima em um bar na noite de sábado. Ele já prestou depoimento e estaria sendo monitorado, podendo ser preso ainda hoje.

"O que temos nos autos do inquérito nos leva a crer, categoricamente, que a pessoa que matou a Aline participou do jogo e conviveu com as três moças que vieram à cidade", disse o delegado seccional de Ouro Preto, Adauto Corrêa. Para o delegado que preside o inquérito, Francisco Rodrigues da Silva, Aline "foi escolhida previamente para morrer em consequência do jogo".

A polícia está investigando a participação no crime das outras pessoas que participaram do jogo todas já teriam sido identificadas, inclusive a das duas moças que acompanhavam

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página