Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/06/2003 - 14h20

Terremoto de 7 graus na escala Richter é registrado na Amazônia

da Folha Online

Um terremoto foi registrado por volta das 3h30 de hoje em uma região pouco povoada do Amazonas. O tremor ocorreu a 553 quilômetros de profundidade e, segundo o Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, não causou danos à população.

O abalo atingiu 7 graus na escala Richter. Segundo o professor Lucas Vieira Barros, o sismo ocorreu próximo da fronteira com o Acre, perto da cidade de Cruzeiro do Sul.

Tremores nessa região ocorrem com "certa frequência", de acordo com o observatório, mas raramente são percebidos devido à profundidade. São detectados apenas pelos sismógrafos.

Cinco abalos com magnitude acima de 7 graus foram registrados no Brasil nos últimos 100 anos. Nenhum causou danos. A escala Richter, teoricamente, não tem um limite para medição. Pelos registros, o limite considerado possível é de 10 pontos.

Chile

Segundo os professores Lucas Vieira Barros e Vasile Marsa, sete horas após o sismo ocorrido no Acre, outro, com 6,8 graus, atingiu o Chile a uma profundidade de 34 quilômetros da superfície, com potencial para produzir danos.

Eles afirmam que os dois terremotos têm em comum o fato de serem resultantes da interação entre as placas de Nazca e Sul Americana. O abalo ocorrido no Brasil foi causado por uma quebra da placa de Nazca a grande profundidade, enquanto o sismo do Chile foi causado por uma ruptura na zona de contato entre as duas placas.

Outros casos

Os sismógrafos da universidade registraram em abril outro abalo no Acre. Ele ocorreu a 545 quilômetros de profundidade e atingiu 5,9 graus na escala Richter, também sem causar danos.

Em Caruaru (PE), constantes tremores são registrados. Somente este ano, pelo menos três tremores puderam ser sentidos pela população do agreste pernambucano. O abalo mais forte ocorrido em Caruaru aconteceu em 1970, quando sismógrafos registraram um tremor de 3,9 pontos na escala Richter.

Em março, sismógrafos do observatório da UnB registraram tremores de terra em Minas Gerais. Os abalos foram sentidos em Areado e Alterosa, no sul do Estado. O maior deles atingiu 3,4 graus na escala Richter.


Leia mais
  • Tremor de terra atinge Brasil, Argentina, Chile e Peru



    Especial
  • Saiba mais sobre terremotos
  • Entenda a escala Richter
  • Leia mais notícias e fique por dentro do Ambiente
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página