Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/08/2000 - 19h49

Vigilante do aeroporto de Porecatu (PR) foi rendido e ameaçado pelos sequestradores

Publicidade

daAgência Folha, em Londrina

O vigilante que cuidava do hangar do aeroporto municipal de Porecatu, Sebastião Morais da Silva, 35, foi rendido e ameaçado por integrantes da quadrilha que desceram do avião.

Nesta quinta-feira (17), ele prestou depoimento ao delegado Márcio Vinícius Ferreira Amaro, da Polícia Civil da cidade.

Com o vigilante estavam duas outras pessoas que também foram rendidas pelos assaltantes. Em depoimento, Silva disse que seu revólver calibre 38 foi tomado pelos assaltantes.

Segundo o vigilante, os assaltantes obrigaram o comandante Sérgio Carmo dos Santos a deixar o aeroporto de Porecatu assim que retiraram os malotes com dinheiro. Silva disse que os assaltantes fugiram em uma picape Ranger branca. O veículo, com placas de Paranavaí (noroeste do PR), foi encontrado no início da tarde em Centenário do Sul (15 km de Porecatu).

O delegado Amaro disse que a placa da Ford era falsa, "pois em Paranavaí não existe registro de roubo de veículo semelhante ao usado pela quadrilha".

O aeroporto municipal de Porecatu tem uma pista de pouso de 2.100 metros e seria a única, de acordo com Amaro, que permitiria o pouso de um Boeing na região. Segundo ele, isso reforça a hipótese de que os assaltantes conheciam a região e de que um deles era piloto.

Construído ao lado da PR-170, o aeroporto de Porecatu é praticamente cercado por canaviais do grupo Atalla e utilizado basicamente por pilotos de pulverização agrícola e executivos que possuem negócios com a usina do grupo.

Clique aqui para ler mais notícias sobre o sequestro de Boeing da Vasp em Londrina na Folha Online

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página