Home
 Tempo Real
 Coluna GD
 Só Nosso
 Asneiras e Equívocos 
 Imprescindível
 Urbanidade 
 Palavr@ do Leitor
 Aprendiz
 
 Quem Somos
 Expediente
gdimen@uol.com.br

Viciado não é criminoso

O Ministério da Saúde certamente sairá desgastado se insistir em aprovar o projeto de lei para que o consumo de droga não seja crime - mas está agindo corretamente e não deveria desanimar.

Vários especialistas em saúde pública defendem há muito tempo a posição de que não punir o consumidor, com prisão ou internamento compulsório, é uma alternativa menos ruim, já que se considera o viciado um doente.

Prisão seria só para o traficante. Mas a opinião pública, temerosa de uma explosão de consumo não quer, por enquanto, ouvir falar da descriminalização das drogas.

Nesse debate não há uma boa solução. A questão que se levanta é a seguinte: qual o menor dano? Claro que punir o viciado - ou seja, um doente - apenas serve para prejudicá-lo mais ainda, condenando-o à marginalidade da lei.

O problema é que mudar a lei, mas não produzir sistemas de prevenção e, mais, melhorar o atendimento para os drogados, é capaz de estimular mesmo o consumo, gerando um problema político.

 
 
                                                Subir    


Biografia

   ANTERIORES
  Brasil, país de tolos?
  Nota 7 para Lula
  O ministro da Educação passa no vestibular?
  Jornalismo chapa-preta do PT
  O inferno do Carandiru vai ao paraíso? Talvez
  A harmonia de Rappin' Hood
  Bolsa-tráfico, ótima idéia do governo Lula
  A cadela Michelle, a modelo Gisele e a prefeita Marta
  Graziano corre contra o tempo
  Estudantes nordestinos receberão ajuda para cursar faculdade
  Cumprir uma lei salvaria jovens da marginalidade
  A culpa é do Lula
  Lula é a fonte do rumor sobre Graziano
  PT analisa demissão de Graziano
  Melhoramos muito, mas é pouco
  Plano B deve ser "B" de bobagem
  Prejudicaram os negros
  Universidade vira sonho da casa própria
  Brasil cria bolsa-universidade e aluno paga com serviço comunitário
  Pagamos o Carnaval de Gil
  Vão cometer esse crime?
  Até o Carnaval virou "Big Brother"