Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/11/2006 - 21h02

Confira a repercussão da morte de Milton Friedman

Publicidade

da Folha Online
da Folha de S.Paulo

Confira abaixo a repercussão da morte do economista Milton Friedman, prêmio Nobel de Economia de 1976. Líder da conservadora Escola de Chicago de Economia, o nome de Milton Friedman é associado às teorias "monetaristas", que consideram que a inflação pode ser controlada quase que exclusivamente pela oferta de moeda.

"Milton Friedman será sempre incluído entre os grandes economistas", disse o secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson. "Suas idéias pioneiras sobre a ligação entre economia e liberdade política pavimentaram o caminho para a prosperidade e a vitalidade financeira em economias do mundo todo."

"Meu mundo não será o mesmo", lamentou Alan Greenspan, ex-presidente do Fed (Federal Reserve, banco central dos EUA. "Ele foi uma referência na minha vida tanto pessoal quanto profissionalmente por meio século", disse Greenspan

"Milton Friedman reviveu a economia da liberdade quando ela tinha sido quase esquecida. Ele era um lutador intelectual pela liberdade. Nunca houve um praticante menos triste de uma ciência triste", disse Margaret Thatcher, ex-primeira-ministra do Reino Unido.

A maior parte do pensamento moderno dos bancos centrais vem de Friedman, disse William Poole, presidente do Fed de Saint Louis. "Antes de Milton, os economistas não eram levados a sério pelos fazedores de políticas públicas."

A colega Anna Schwartz elogiou Friedman como um professor que "fez muito para fazer da política monetária uma questão central para os realizadores de políticas públicas".

Leia mais
  • Monetarista, Milton Friedman liderou a conservadora Escola de Chicago
  • Milton Friedman, vencedor do Prêmio Nobel de Economia, morre aos 94

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Milton Friedman
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página