Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/08/2007 - 12h49

Nokia amplia em 148% o lucro líquido no segundo trimestre

Publicidade

da Efe

A Nokia, líder mundial de telefonia celular, registrou alta de 148% no lucro líquido no segundo trimestre, comparado ao mesmo período de 2006, a 2,828 bilhões de euros (US$ 3,873 bilhões), informou a empresa em comunicado nesta quinta-feira.

A expansão do lucro, maior que o esperado, se deve em parte à fusão das divisões de redes da Nokia e da alemã Siemens, que se efetivou em 1º de abril.

As vendas líquidas da Nokia entre abril e junho ficaram em 12,587 bilhões de euros (US$ 17,118 bilhões), um aumento de 28%.

O lucro operacional da companhia cresceu 57%, para 2,359 bilhões de euros (US$ 3,208 bilhões).

O gigante finlandês vendeu entre abril e junho mais de 100 milhões de telefones celulares, 29% a mais que no mesmo período de 2006, o que lhe dá uma fração de mercado de 38%, dois pontos percentuais a mais que há um ano, segundo os próprios cálculos da empresa.

O aumento das vendas ocorreu em todas as regiões, exceto na América do Norte, com altas que oscilam entre 21% na América Latina e 36,8% na África.

Na América do Norte, as vendas da Nokia caíram 21%, de 5,2 milhões de celulares a 4,1 milhões.

"A Nokia continuou crescendo no segundo trimestre graças ao excelente rendimento de nosso negócio de celulares", afirmou em comunicado o executivo-chefe da companhia, Olli-Pekka Kallasvuo.

"Estou especialmente satisfeito com o sucesso de vários de nossos últimos modelos de luxo, que fizeram uma grande contribuição para o aumento de nossa rentabilidade", acrescentou.

Entre estes modelos, Kallasvuo destacou a grande aceitação do 'Nokia 6300' e dos terminais de terceira geração "N95" e "E65'.

Para 2007, a Nokia calcula que o volume global de telefones celulares crescerá 10%, superando os 978 milhões de unidades vendidas em 2006.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite o endereço wap.folha.com.br

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página