Equilíbrio
27/06/2001 - 09h21

Depois da primeira experiência homossexual, V. quis fugir do país

Publicidade

da Folha Online

Ao ter sua primeira experiência homossexual, o estudante V.J.R., 18, quis fugir do país e se esconder da família e dos amigos. "Aconteceu quando eu tinha 15 anos. Odiei. Achei péssimo e quis ir embora. Fui para os Estados Unidos fazer intercâmbio e fiquei lá um ano", disse.

Nesse período, V. não se envolveu com ninguém do sexo oposto. "Quando voltei tentei ficar com uma menina, mas não sentia nada. Aí entrei na internet para procurar alguém porque eu estava tesão, com vontade. Pela minha idade não ia poder ir numa boate gay", afirmou.

O estudante acabou conhecendo uma pessoa com quem ficou durante dois anos. "Era meu 'amigo exclusivo'. Morava com a namorada, mas saia comigo. Era bi. Eu ficava mal, mas gostava dele pra caramba. Só que com o tempo eu cansei", disse.

Agora, V. está namorando outra pessoa há dez meses, mas a família nem imagina. "Minha família não sabe. Meus amigos de infância também não. Acho que a reação seria péssima. Isso me incomoda, mas acho que ia desmoronar [se os pais ficassem sabendo]", disse.

Apesar de nunca ter namorado uma mulher, o estudante chegou a "ficar" com algumas meninas. "Faz três anos que não fico com mulher porque não tenho vontade."

V. não se preocupa com o fato de assumir sua homossexualidade. "Não preciso colocar na minha testa. As pessoas acreditam no que elas querem", disse.

Leia também:

  • Assumir homossexualidade não é erro e só ajuda, dizem médicos

  • Brasil é campeão mundial de crimes contra homossexuais

  • Marcos, 36, casou e teve dois filhos para esconder da família

  • Pai de vendedor achou que ele brincava quando contou ser gay

  • "Passaram três meses e nada de sexo", conta farmacêutica


  • Saiba como foi  a Parada Gay em São Paulo e no mundo
     

    FolhaShop

    Digite produto
    ou marca