Equilíbrio
Almanaque do Brinquedo
boneca
Ricardo Prado/Folha Imagem

Tamanho real

Stephanny (Baby Brink, ao lado) é a maior boneca do Brasil, com 105 centímetros --altura de uma menina de cinco anos. O maior bebê é o Family (Acalanto), com 87 cm, como uma criança de dois anos!

Milhões por ano

Nas 129 lojas de brinquedos das duas maiores redes do país (Ri Happy e PBKids), foram vendidos 2 milhões de bonecas em 2007.

Tal mãe, tal filha

Vestir-se igual à boneca, por enquanto, só nos Estados Unidos. Mas uma novidade acaba de chegar por aqui: a Laço de Fita lançou camisolas iguais para você e "sua filhinha", por R$ 40.

Alexia Santi/Folha Imagem

Bicharada estilosa

A Happy Town tem um guarda-roupa completo para meninas, meninos e seus bichinhos, com preços de R$ 42 (roupas dos bichos) a R$ 130 (roupas das crianças).

Elas curam!

Para os japoneses, bonecas têm espírito. Muitos acreditam que, se uma boneca for colocada na cama de uma criança doente, ela leva a doença embora.

Marcelo Justo/Folha Imagem

Três "doenças" comuns

As bonecas costumam sofrer principalmente de três "doenças": as oftalmológicas (problemas nos olhos); as ortopédicas (pescoço, pernas e braços quebrados) e as neurológicas (elas já não falam ou não se mexem mais). Nos hospitais de bonecas (ao lado), elas têm cura. O preço do tratamento gira em torno de 10% a 20% do valor de mercado da boneca, e a garantia da fábrica é de 90 dias.

Renato Stockler/Na Lata

Tudo novo

Para renovar o guarda-roupa da sua boneca, a Laço de Fita tem blusa, camiseta, calça, jardineira, macacão, saia, short e vestido (de R$ 19 a R$ 25), calcinha (de R$ 5 a R$ 7) e maiô (de R$ 12 a R$ 14).

Divulgação

Vestido de papel!

No século 18, bonequinhas de papel inventadas na Inglaterra foram sucesso mundial. A brincadeira era recortar e trocar a roupa; sua mãe e sua avó devem ter brincado disso.

Divulgação

O que a baiana tem?

No acervo da Estrela, primeira fábrica de bonecas do Brasil, a Baianinha é das mais antigas. Nasceu em 1943, e suas invenções eram fechar os olhos e dizer "mamãe".

Casinhas de boneca

A primeira casa de bonecas de que se tem notícia é de 1558, presente de um duque alemão para sua filha mais velha. Ela demorou dois anos para ficar pronta. Tinha quatro andares e vários ambientes, todos decorados. Hoje uma das principais fábricas de casinhas no Brasil é a Bohney, em São Paulo, que faz, artesanalmente, até prédios com elevador!

Videocast

Linha do tempo

Quando elas nasceram

Apontadas como o brinquedo mais antigo da humanidade, as bonecas ficam cada vez mais parecidas com as crianças

2000 a.C.

No Egito Antigo, na época do Médio Império, surgem as primeiras bonecas de que se têm notícia. As de barro - a grande maioria -eram enterradas com os faraós. As de madeira, com longos cabelos, até hoje não se sabe para que serviam.

Ilustrações: Mariana Newlands

2000 a.C.

79 d.C.

Em Herculano, cidade romana destruída na erupção do vulcão Vesúvio, é encontrado o corpo de uma menina abraçada a uma boneca. Mas os historiadores dizem ser impossível descobrir se ela se agarrava a um brinquedo ou a uma espécie de "santa".

Século 14

Na França, surgem as Pandoras, bonecas de madeira com cabelos feitos de crina de cavalo, de tamanho natural, vestidas com as últimas criações dos costureiros.

Século 18

Com a Revolução Industrial, as bonecas de madeira passam a ser produzidas em larga escala, e fábricas familiares se multiplicam na Alemanha e na França. Rapidamente, a rusticidade da madeira dá lugar à delicadeza da porcelana.

Século 18

1843

A primeira boneca, de Jacob Petit-Porcelainier, é patenteada (documento que dá ao inventor um título de propriedade sobre o que criou) na França. O material utilizado no rosto é uma pasta brilhante e dura.

1845

O bebê Jumeau conquista crianças de todo o mundo por três gerações. Rostinhos perfeitos de "biscuit" passam a ser encomendados a escultores renomados. Moldes são usados no máximo 50 vezes.

1855

Mile Calixte Huret lança a primeira boneca com membros articulados e corpo de couro.

1855

1860

É registrada a primeira patente de fixação de olhos.

1862

Jules Nicolas introduz mecanismos no corpo das bonecas que permitem que elas movimentem cabeça, braços, pernas e falem "papai" e "mamãe".

1905

Nascem as Googlies, as verdadeiras ancestrais das bonecas atuais. Numa revolução estética, aparecem com olhos esbugalhados e expressões marotas. Surgem experimentos em papel maché, em cera e em celulóide, todos problemáticos.

1937

É inaugurada a Estrela, primeira fábrica brasileira de brinquedos. Seu primeiro produto é uma boneca de nariz arrebitado. Ela mede 38 cm, tem corpo de tecido e rosto de massa.

Anos 40

Polly & Suzy são as bonecas mais populares. De papel, a dupla tem vestidos inspirados nas estrelas de Hollywood.

Pós 2ª Guerra (1946-1947)

Bonecas começam a ser fabricadas em plástico e em borracha, e iniciam-se experimentos de bonecos mecânicos e falantes.

Anos 50

A revolução do plástico chega ao Brasil. Pupi, com 35 cm, chora e dorme --e é inquebrável. Bebê que Anda é um dos primeiros com movimento, graças a uma engrenagem de ferro.

1959

Lançada, nos Estados Unidos, a primeira Barbie. O nome da boneca veio do apelido da filha de seus criadores (Ruth Handler e seu marido Elliot), que chamava Barbara.

1959

Anos 60

As meninas brasileiras conhecem a primeira boneca mecânica: Gui Gui sorri quando a criança abre e fecha seus braços. Em 1966, é lançada Susi, a primeira "fashion doll" (boneca que segue tendências da moda) brasileira.

Anos 70

Em 1970, chega Flexy, miniboneca totalmente flexível; em 1977, Falcon, o primeiro boneco de ação para meninos.

Anos 80

Com o slogan "Tudo o que você quer ser", Barbie chega ao Brasil. Na bagagem, traz uma casa completa, sonho de consumo das meninas, e dezenas de acessórios. Susi, sua maior rival, com 20 milhões de unidades vendidas desde 1966, desaparece do mercado, após acordo entre a Estrela e a Mattel. Nessa época também é lançada a "fashion doll" Xuxa, que vende 1,5 milhão de unidades em um ano. Chega às lojas Amore, a primeira boneca eletrônica do Brasil.

Anos 90

Os importados invadem o mercado, com bonecas que interagem com as crianças.

Hoje

Personalização é a tendência. A megaloja American Doll, exclusiva de bonecas, é sucesso e abre filiais pelos EUA. Nela, meninas de 6 a 10 anos escolhem bonecas semelhantes a elas e se vestem com roupas iguais. No Brasil, com uma foto e R$ 800 (preço estimado), será possível reproduzir o rosto de uma criança, um adolescente ou um adulto em um boneco de vinil e corpo de pano _e em apenas 23 minutos (o maquinário já foi importado pelo empresário Leandro Primo Capelo).

Hoje

FolhaShop

Digite produto
ou marca

 
[an error occurred while processing this directive]