Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/06/2006 - 11h13

Príncipe garante emprego de Marcos Paquetá na Arábia

Publicidade

da Folha de S.Paulo

O príncipe Nawaf bin Faisal, vice-presidente da Federação Saudita de Futebol, disse nesta quinta-feira que o técnico brasileiro Marcos Paquetá não será demitido mesmo diante da iminente eliminação da equipe na Copa do Mundo da Alemanha.

"De nenhuma maneira o contrato dele será quebrado. Estamos convencidos de que Paquetá tem um excelente currículo", afirmou Faisal.

A declaração é surpreendente, já que os árabes tradicionalmente costumam demitir seus treinadores logo nos primeiros resultados negativos.

Carlos Alberto Parreira, por exemplo, caiu no meio da Copa da França-98, após duas derrotas. Antes dele, Candinho --que classificara a equipe para o Mundial francês-- pediu demissão no banco de reservas, no meio do jogo que levou a equipe à Copa.

Com um ponto em dois jogos, os sauditas enfrentam amanhã a Espanha com a obrigação de fazer muitos gols para superar a Tunísia no saldo de gols. Aos mesmo tempo, eles precisam torcer para que os africanos dobrem a Ucrânia.

"Só porque os jogadores não fizeram o que ele pediu contra a Ucrânia não significa que vamos demiti-lo", disse Faisal.

Leia mais
  • Brasileiro encara protesto no regresso à Costa Rica
  • Secretário-geral da ONU abandona a neutralidade
  • Pelé diz que só falta sorte para Ronaldo voltar a marcar

    Especial
  • Leia cobertura completa da Copa do Mundo-2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página