Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/07/2006 - 17h05

Copa do Mundo vê quinta prorrogação em finais

Publicidade

ANDRÉ LUÍS NERY
da Folha Online

A final da Copa do Mundo-2006, entre Itália e França, neste domingo, em Berlim, é a quinta na história dos Mundiais a ir para a prorrogação. As duas seleções européias empataram por 1 a 1 no tempo normal.

A primeira decisão que precisou de tempo extra foi a de 1934, quando a própria Itália, após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, chegou à vitória por 2 a 1 contra a Tchecoslováquia com um gol de Angelo Schiavio.

O título voltou a ser definido na prorrogação em 1966. Após empate por 2 a 2 com a Alemanha, a Inglaterra conquistou seu único título mundial com mais dois gols de Geoff Hurst, que também fez um no tempo normal.

Em 1978, Argentina e Holanda também precisaram do tempo extra. Após empate por 1 a 1 nos 90 minutos, a equipe sul-americana definiu o título na prorrogação com gols de Mario Kempes e Daniel Bertoni.

A última final com tempo extra foi a de 1994, mas tanto Brasil como Itália não conseguiram movimentar o placar. Com o 0 a 0 permanecendo após 120 minutos, o título foi decidido nos pênaltis --o Brasil ganhou por 3 a 2.

Leia mais
  • Fifa "maquia" público de 50 e transforma Copa-06 na de 2ª melhor média
  • Buffon não bate recorde de Zenga, mas supera invencibilidade de Leão
  • Zidane é o 4º jogador a fazer gols em duas finais de Copas

    Especial
  • Vote:O título da Itália foi justo?
  • Leia cobertura completa da Copa do Mundo-2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página