Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/07/2006 - 12h14

De volta à França, Zidane recebe homenagem de Chirac

Publicidade

da Folha Online

Na chegada dos jogadores franceses ao seu país, nesta segunda-feira, o presidente Jacques Chirac e o elenco da seleção manifestaram apoio a Zinedine Zidane, expulso na prorrogação da final da Copa do Mundo ao agredir, fora de lance de jogo, o italiano Marco Materazzi, com uma cabeçada em seu peito.

Chirac declarou, no próprio domingo, que Zidane deveria ser perdoado pelo lapso. E nesta segunda-feira, parabenizando o capitão, agora aposentado, pelo prêmio de melhor jogador da Copa do Mundo concedido pela Fifa, declarou que o admira como "gênio do futebol".

"Querido Zinedine Zidane, gostaria de dizer, neste que talvez seja o momento mais intenso e difícil de sua carreira, que há muita admiração e carinho de toda uma nação. Isso significa que há respeito, também. Você é um virtuoso, um gênio do futebol", disse o Chirac, diretamente ao jogador.

"Você também é um homem de coração, de compromisso, de convicção. É por isso que a França admira e ama você", completou o governante.

Abatido, com a barba por fazer, Zidane sorriu ao receber a homenagem de Jacques Chirac e sua esposa, Bernadette, no Palácio de Champs Elysées. Os jogadores chegaram atrasados à recepção oficial com o presidente porque foram saudados por fãs no Hotel Le Crillon, em Paris, onde se instalaram na volta à França.

Ao falar com os jornalistas locais, os jogadores franceses se negaram a concordar com as críticas à expulsão de Zidane.

Thierry Henry, o atacante que recebeu o passe de Zidane para fazer o gol que eliminaria o Brasil da Copa, desconsiderou por completo o lance do último domingo.

"Tudo que eu gostaria de dizer a Zizou, e acho que a França e o mundo do futebol também, é 'obrigado' e 'obrigado'. É isso", disse o atacante.

"Devemos agradecê-lo porque se ele não tivesse voltado [para a seleção] nós não teríamos estado na final", disse Willy Sagnol, concordando com a postura de Henry.

Jean-Alain Boumsong se recusou a explicar o que aconteceu ou falar sobre o que Zidane teria contado aos colegas depois do incidente. "Vocês deveriam perguntar a ele mesmo", disse Boumsong.

"Obviamente ele estava muito chateado de terminar sua carreira com uma derrota, acima de tudo, e de abandonar seus companheiros. Mas ele ainda é um grande homem", apontou o zagueiro francês.

Com agências internacionais

Leia mais
  • Apesar de cabeçada, Zidane é eleito o melhor jogador da Copa

    Especial
  • Opine: o título da Itália foi justo?
  • Leia cobertura completa da Copa do Mundo-2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página