Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/07/2006 - 23h47

Flamengo vence Vasco e sai na frente na decisão da Copa do Brasil

Publicidade

da Folha Online

Na primeira final da Copa do Brasil entre dois rivais da mesma cidade, o Flamengo venceu o Vasco por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no Maracanã, e deu um importante passo rumo ao título da competição.

Agora, as duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, no mesmo estádio, para definir quem conquistará o segundo título carioca da competição --o primeiro ficou com o Flamengo, vitorioso em 1990, que chegará ao bicampeonato até se perder por um gol de diferença.

Desde então, as equipes do Rio de Janeiro já participaram de outras seis finais do torneio que dá vaga para a Taça Libertadores, mas sempre acabaram derrotadas. O maior responsável por esta "síndrome" é o próprio Flamengo, que saiu derrotado das decisões de 1997, 2003 e 2004.

Para tentar quebrar este tabu, o técnico Ney Franco mexeu no time e surpreendeu o rival, ao adotar o esquema 3-6-1. Assim, Luizão atuou como uma espécie de pivô, com a missão de municiar Toró e Renato, que ficariam responsáveis pelos chutes de fora da área.

Já Renato Gaúcho, que não contou com o volante Ygor, suspenso, optou por uma formação mais tradicional e apenas efetivou Yves na equipe titular.

O jogo

Apesar de ter uma postura tática teoricamente mais ofensiva, com a presença de dois meias de armação e dois atacantes, o Vasco esperava o Flamengo em seu campo de defesa e tentava aproveitar a velocidade de Morais e Valdiram para puxar os seus contra-ataques.

No entanto, durante o primeiro tempo, a tática do técnico Renato Gaúcho falhou. Com dois jogadores a mais no meio de campo, o Flamengo dominava o setor e conseguia impor uma pressão territorial no adversário.

Apesar de estar melhor em campo, a equipe de Ney Franco tinha dificuldades para criar boas jogadas. Assim, o time teve apenas uma oportunidade real de gol na etapa inicial, aos 33min, quando Renato Augusto fez o pivô e rolou para Juan bater bonito. No entanto, a bola saiu à esquerda de Cássio.

Enquanto isto, o Vasco só conseguia chegar ao gol de Diego em jogadas de bola parada. Em duas cobranças, uma com Andrade e outra com Ramón, a equipe conseguiu assustar o goleiro rival.

O segundo tempo começou bastante diferente. O Vasco, que na etapa inicial, havia se postado no campo de defesa, adiantou sua marcação e se igualou ao rival na presença ofensiva. Com isto, o Flamengo também passou a contar com a opção do contra-ataque.

Para aproveitar a nova configuração da partida, o técnico Ney Franco sacou o zagueiro Renato Silva para a entrada de um novo atacante, Obina, que após escanteio, aos 15min, bateu no ângulo de Cássio e abriu o marcador.

Dois minutos depois, Luizão aproveitou cruzamento de Leonardo Moura, pela direita, e cabeceou bem para ampliar e definir o placar.

Desnorteado com os dois gols sofridos, o Vasco se lançou ao ataque de maneira desesperada. Porém, nervoso, não conseguia tocar a bola e deixava excessivos espaços para o adversário.

Apesar disto, de bola parada, os vascaínos desperdiçaram grande chance de diminuir aos 24min, quando o volante Andrade bateu falta com força e acertou o travessão de Diego. No rebote, a defesa flamenguista conseguiu afastar.

Com a entrada do zagueiro Rodrigo Arroz e do volante Junior, que substituíram os meias Toró e Renato Augusto, o Flamengo passou a atuar de forma mais fechada e se limitou a administrar a valiosa vantagem.

Especial
  • Saiba o que já foi publicado sobre o Vasco
  • Saiba o que já foi publicado sobre o Flamengo
  • Leia mais notícias no especial da Copa do Brasil
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página