Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/08/2006 - 11h00

Apesar da vantagem, jogadores do Inter falam em manter cautela

Publicidade

LÉO GERCHMANN
da Agência Folha, em Porto Alegre

Recebidos como campeões por cerca de 270 torcedores às 11h50 de ontem, no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, os jogadores do Internacional procuraram não se contaminar pelo evidente sentimento de triunfo entre os fãs depois da vitória de quarta-feira sobre o São Paulo, por 2 a 1.

Até mesmo uma carreata improvisada acompanhou o ônibus do clube com os jogadores até o estádio Beira-Rio.

Com o resultado da partida, a equipe gaúcha necessita apenas de um empate com o São Paulo na próxima quarta-feira, em Porto Alegre, para assegurar o título da Libertadores pela primeira vez em sua história.

No aeroporto, os jogadores mais festejados foram o goleiro Clemer, que fez importantes defesas, e o atacante Rafael Sobis, autor dos dois gols.

"Vamos trabalhar muito nos próximos dias porque não temos nada ganho ainda. É claro que a vitória foi importante, mas se trata apenas do primeiro passo para chegarmos a uma conquista histórica. É fundamental termos prudência", disse o zagueiro Bolívar.

Para o goleiro Clemer, o torcedor estava no momento de extravasar. "Demos um passo importantíssimo. Todos sabemos que ainda faltam 90 minutos. Mas a frieza, a consciência disso, fica por nossa conta. O torcedor vive de paixão. Quer mais é extravasar, está no seu direito", comentou Clemer.

O técnico Abel Braga, mesmo reconhecendo o direito do torcedor de festejar a vitória importante, procurava sublinhar que ainda há o segundo jogo.

"Ainda falta todo o segundo tempo. Vamos manter a cautela e a pegada. Nada está ganho ainda", afirmou o treinador.

"Acho que a gente pode ficar feliz e acompanhar a torcida, mas somos profissionais e sabemos que, do outro lado, há uma equipe se armando para buscar sair do prejuízo. E é uma equipe de muitos recursos", comentou Rafael Sobis.

Se o discurso dos jogadores e da comissão técnica era de cautela, os torcedores já se portavam como campeões.

"Claro que sabemos que o São Paulo é um bom time. Mas nós somos melhores. Ficou provado no primeiro jogo. Ninguém nos tira esse título, que esperamos há tantos anos. O São Paulo não pode conosco no Beira-Rio. Se já não pôde em São Paulo...", disse o vendedor Jocimar Fagundes, 54.

A ordem da comissão técnica do Inter é manter a cautela e, especialmente, a humildade, para não colocar em risco uma conquista iminente.

Para o jogo contra o Fortaleza no domingo, em Fortaleza, pelo Brasileiro, o clube colocará seus reservas, que foram direto de São Paulo para o Ceará.

Os problemas estão restritos ao departamento médico do clube. Rafael Sobis, Alex, Elder Granja e Ceará, que reclamam de dores ou contusões, preocupam o grupo e farão tratamento intensivo para estarem nas melhores condições possíveis para o duelo decisivo.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o Internacional
  • Leia cobertura completa da Libertadores-2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


    Voltar ao topo da página