Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/01/2001 - 09h45

Vasco decide título da Copa JH sob estresse

Publicidade

da Sucursal do Rio

O Vasco vai decidir sob estresse o título da Copa João Havelange contra o São Caetano, nesta quinta-feira, no Maracanã.

Por causa de uma série de atitudes tomadas nos últimos dias pelo presidente eleito do clube, Eurico Miranda, o clima no Vasco é o pior possível.

O time que entrará em campo daqui a quatro dias está dividido em grupos. Vários atletas não se falam. Alguns já começaram a se rebelar publicamente contra os atos do dirigente vascaíno.

Durante os treinos da equipe na semana que passou, o ambiente era policialesco. Proibidos de falar com a imprensa, os jogadores eram seguidos por seguranças do clube para não dar entrevistas.

Desde segunda-feira, Eurico proibiu os atletas de falar com os jornalistas incumbidos de acompanhar os treinos. Nem sequer entrevistas por telefone estão autorizadas.

A decisão criou uma divisão entre os jogadores. Um grupo é favorável à medida estabelecida por Eurico. Outro, não.

A maioria dos titulares também está cobrando da diretoria um novo período de descanso. Os atletas do vasco tiveram apenas oito dias de férias antes de serem reconvocados para enfrentar novamente o São Caetano. Porém, Eurico já disse que não vai dar um novo período de férias a todos os titulares.

O Vasco vai participar de duas competições ainda em janeiro, o Torneio Rio-São Paulo e o Estadual do Rio.

Irritados com a forma como estão sendo tratados, os principais atletas vascaínos já não escondem o descontentamento.

O meia Juninho Pernambucano foi o primeiro a se rebelar. Ele declarou que deixará o clube após o jogo conta o São Caetano. Na quinta, ele decidiu desafiar Eurico e deu entrevistas.

O meia Juninho e o volante Jorginho também deixaram claro que não concordam com Eurico.

O atacante Romário, principal jogador da equipe, é outro que não se importa em demonstrar sua insatisfação. O jogador declarou que vai retomar as férias logo após o jogo de quinta-feira.

Viola foi mais longe e se recusou a voltar das férias. Sem contrato, encerrado dia 31, o jogador ainda não apareceu para treinar.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página