Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/06/2001 - 18h28

Marcelinho Paraíba pode disputar Libertadores pelo Grêmio

Publicidade

da Agência Folha, em Porto Alegre

O meia-atacante Marcelinho Paraíba, um dos destaques do Grêmio na conquista da Copa do Brasil, já está com sua transferência concretizada para o Herta Berlin, da Alemanha, mas deve retornar à equipe gaúcha em 2002.

Os dirigentes gremistas começaram as tratativas para ter o jogador na disputa da Taça Libertadores, competição para a qual o clube conquistou uma vaga automaticamente com a conquista de ontem da Copa do Brasil ao derrotar o Corinthians por 3 a 1. O negócio poderá envolver a ida do volante Eduardo Costa para a equipe alemã no final deste ano.

Marcelinho ficou apenas seis meses no Grêmio, mas foi o suficiente para conquistar dois títulos _o Campeonato Gaúcho e a Copa do Brasil.

"Eu não queria sair, mas não tem jeito. Já está tudo acertado e, profissionalmente, vai ser importante retornar à Europa. Se der para jogar a Libertadores pelo Grêmio no ano que vem, será um sonho. Deixo Porto Alegre com uma grande dor. É uma pena", disse o jogador.

O Grêmio receberá US$ 7 milhões pela transferência de Marcelinho. Para substituí-lo, pretende contratar outro atacante, que poderá ser Christian (ex-Internacional), que está no PSG (Paris Saint-Germain).

O negócio pode ser viabilizado devido à pendência envolvendo os dois clubes. Os franceses estão na iminência de fazer um acordo com o clube gaúcho para indenizá-lo e, com isso, poder utilizar o atacante Ronaldinho.

Ao chegarem a Porto Alegre na madrugada de hoje, os jogadores do Grêmio foram recebidos pela torcida e se dirigiram ao estádio Olímpico em caminhão de bombeiros. No Olímpico, 4.000 torcedores fizeram a festa até as 3h.

O técnico Tite, 40, um seguidor assumido do treinador da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, disse atribuir o título aos treinadores que o antecederam no clube.

"Uns ganharam e outros perderam, mas é essencial perder para se aprender a vencer. Eu fui poupado de perder", afirmou.

Luiz Felipe disse a Tite que torceu pelo Grêmio como se estivesse dentro de campo. Para os dirigentes, deixou mensagens dizendo que, como gremista, estava torcendo pela equipe gaúcha na decisão.

Tite, ou Adenor Leonardo Bacchi, ganhou esse apelido ao ser lançado como jogador de futebol pelo próprio Luiz Felipe. No seu caso, não é um vício de linguagem os jogadores o chamarem de "professor". Ele é professor de Educação Física. Nascido no dia 25 de maio de 1961 em Caxias do Sul, formou-se pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas.

Nos campos de futebol, começou a jogar no Juventude (1976). Depois, Caxias, Esportivo (RS), Lusa e Guarani (SP). Como treinador, trabalhou no Caxias, Guarani (RS), Veranópolis (RS), Ypiranga (RS), Juventude e Grêmio.

Pelo Caxias, conquistou o título de campeão gaúcho em 2000. Em 2001, conquistou novamente o título regional, já como técnico gremista, e, anteontem, o de campeão da Copa do Brasil.

"Meu objetivo, agora, é a Copa Mercosul, o Campeonato Brasileiro e tudo o que vier depois", disse o técnico gremista.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Voltar ao topo da página