Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/07/2001 - 20h23

Rogério Ceni se despede do São Paulo contra o Flamengo

Publicidade

RICARDO PERRONE
enviado da Folha de S.Paulo a Maceió

Em seu segundo ano de existência, a Copa dos Campeões pode ser, pela segunda vez, palco da despedida melancólica de um ídolo do São Paulo. A decisão de amanhã, diante do Flamengo, em Maceió, deverá ser a última partida do goleiro Rogério Ceni pelo clube.

No ano passado, Raí encerrou a carreira no jogo em que os são-paulinos foram eliminados nas semifinais pelo Sport, com uma derrota por 3 a 1, em João Pessoa.

Para evitar que a última lembrança de Rogério Ceni com a camisa da equipe seja em um jogo com gosto amargo, o time do Morumbi terá de vencer por dois gols de diferença e ganhar nos pênaltis.

Outra opção é vencer por uma vantagem de três gols para garantir a vaga na Libertadores sem precisar decidir nos pênaltis.

Rogério Ceni sonhava em encerrar a carreira como Raí, com a camisa do São Paulo. Mas, depois de se desentender com o presidente do clube, Paulo Amaral, por causa do aumento de R$ 50 mil em seu salário de R$ 130 mil, a sua situação no clube ficou insustentável. Rogério deverá acionar a Justiça na quinta-feira para se desligar do clube.

Se encerrar a carreira no São Paulo virou um sonho distante, Rogério pode ainda realizar um feito que Raí não conseguiu: ajudar o time a voltar a Libertadores.

"O filme que passa na minha cabeça não é o de que esse pode ser o meu último jogo. É o filme do São Paulo campeão, de volta a Libertadores e depois ao Mundial Interclubes", afirmou o goleiro.

Bicampeão do principal torneio continental em 1992 e 1993, o São Paulo não disputa a competição desde 1994, quando foi vice.

Apesar de Rogério, no clube há 11 anos, dar esperança aos torcedores de que possa continuar na equipe, sua advogada, Gislaine Nunes, disse serem remotas as chances de reconciliação.

Antes da primeira partida contra o Flamengo, vencida pelo rival por 5 a 3, Rogério havia prometido que os dois jogos da decisão seriam os melhores de sua carreira.

Na quinta-feira, após voltar de Maceió, ele deve se encontrar com sua advogada para decidir o que fazer.

Além de Rogério, Souza e Belletti também podem se despedir da equipe amanhã. Souza ficará sem contrato no dia 25 e pode ser trocado por Jackson, do Cruzeiro.

Diferentemente do goleiro, Souza sempre teve um relacionamento conturbado com os torcedores. Frequentemente saiu vaiado de campo, mas também se acostumou a ouvir a sua entrada ser pedida pelos torcedores nas partidas em que ficou na reserva.

Depois de ter conquistado a vaga de Carlos Miguel, ele retornará ao banco, segundo Nelsinho.

Belletti despertou o interesse do Valencia (Espanha) e já disse que quer acertar a sua transferência. Luiz Taveira, procurador do lateral, estará amanhã em Maceió para conversar com os dirigentes.

O Valencia está disposto a pagar até US$ 6 milhões pelo jogador. A diretoria do São Paulo não divulgou o valor da multa rescisória.

O diretor de futebol José Dias negou ter sido procurado por representantes do clube espanhol, mas não descarta um acordo para liberar o atleta, que vai se apresentar à seleção brasileira após a final.

Os 26.708 ingressos colocados à disposição dos torcedores para a partida de amanhã já foram vendidos, segundo os organizadores.

FLAMENGO
Júlio César; Alessandro, Juan, Gamarra e Cássio; Leandro Ávila, Rocha, Beto e Petkovic; Edílson e Reinaldo
Técnico: Zagallo

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Belletti, Rogério Pinheiro, Jean e Gustavo; Alexandre, Fábio Simplício, Kaká e Carlos Miguel; Luis Fabiano e França
Técnico: Nelsinho Baptista

Local: estádio Rei Pelé, em Maceió
Horário: 21h40
Juiz: Márcio Rezende de Freitas (MG)
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página