Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/02/2002 - 09h48

PSN deve sair do ar no Brasil

Publicidade

LAURA MATTOS
da Folha de S.Paulo

A rede de esportes PSN (TVA, Net e Sky) deve sair do ar no Brasil. Nos próximos dias, deve ser anunciado um acordo com a transferência dos direitos de campeonatos comprados pela emissora para o Fox Sports, que não está disponível na TV brasileira.

A mais imediata consequência para o telespectador brasileiro é a perda da transmissão de jogos da Libertadores _que começou ontem e não foi exibida no país_, exclusivos da PSN na TV paga. A única opção será o calendário definido pela Globo, que tem a exclusividade do campeonato na televisão aberta.

A negociação começou na última semana, em Dallas, nos EUA, onde fica a sede do fundo de investimentos norte-americano HMTF (Hicks, Muse, Tate & Furst) _proprietário da PSN. Ontem, ainda havia alguns detalhes sendo acertados entre as empresas envolvidas, que não quiseram se pronunciar oficialmente.

Trata-se de um acordo que envolveria o HMTF, a Fox (dona do canal Fox Sports na América Latina) e a Liberty Media (sócia do HMTF na empresa de eventos esportivos argentina TyC).

A Fox deve entrar com participação minoritária na PSN e poderia usar sua estrutura para trazer ao Brasil o Fox Sports, canal forte na América Latina. Mas essa hipótese emperra em um outro acordo, que envolve a Fox, a Globosat e a ESPN. As empresas formaram uma joint venture para criar um canal de esportes no país, o ESPN Fox, que entraria no lugar da ESPN International.

Com isso, a vinda do Fox Sports ao Brasil dependeria de uma autorização da Globosat e da ESPN.

Fontes envolvidas com a negociação não acreditam nessa possibilidade, mesmo porque a Fox não teria interesse em concorrer com o Sportv, da Globosat.

A PSN (Panamerican Sports Network) estreou no Brasil em fevereiro de 2000. É um canal à la carte (paga-se além da assinatura da TV paga para recebê-lo), com cerca de 850 mil assinantes no país. Calcula-se que tenha recebido nesses dois anos investimento de cerca de US$ 500 milhões.

Tinha como proposta ter 60% de sua programação voltada para o futebol, com transmissão para Brasil e todos os outros países das Américas do Sul, Central e Caribe.

A sede da PSN fica em Miami, onde é produzido o conteúdo em português e espanhol. Para lá, foram levados alguns profissionais brasileiros, que estão apreensivos quanto ao futuro da emissora. No lançamento, o HMTF prometia que em três anos transformaria a PSN no maior canal esportivo de TV paga do continente.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página