Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/02/2002 - 23h44

Defesas entram em "pane" e Santos empata em jogo de seis gols

Publicidade

da Folha Online

Numa noite em que as defesas deixaram muito a desejar, Santos e Inter-RS empataram por 3 a 3 na Vila Belmiro, em partida válida pela segunda rodada da Copa do Brasil. No jogo de volta, quarta-feira, o time paulista vai precisar vencer a partida (ou empatar por um placar superior a três gols) para conseguir a classificação.

Confira aqui os melhores lances da partida.

Objetividade e eficiência foram a marca do primeiro tempo. Os times chegaram poucas vezes ao gol, mas balançaram a rede quatro vezes. O primeiro lance da partida, por exemplo, foi concluído aos 2min para o fundo do gol.

Foi uma cobrança de falta Robert que Odvan, sozinho dentro da área, escorou de cabeça e superou o goleiro João Gabriel.

O Inter não se deu por vencido com o gol tão prematuro e, quando teve a oportunidade de dar o troco, também marcou: aos 6min, Fernando Baiano dominou de fora da área e bateu forte, sem chances para Fábio Costa.

O empate não alterou a cara da partida. Cautelosos, os dois times iriam preferir tocar a bola por mais um tempo se Oséas, aos 10min, não tivesse feito o segundo gol da equipe da Vila Belmiro. Ele aproveitou um chute desviado de Michel, após ótima jogada do lateral Léo pelo lado esquerdo.

Os gaúchos precisaram aumentar o ritmo para buscar o empate e seu volume de jogo justificaria o resultado. Ocorre que ele veio num pênalti muito discutível de Cléber sobre Carlos Miguel, aos 32min. Fernando Baiano bateu com categoria e marcou.

A partir daí, mais tranqüilo, o Inter assumiu o controle do jogo. Faltou mais contundência para virar o placar, mas a consciência de que os dois gols marcados fora de casa podem fazer diferença no Rio Grande do Sul fez a equipe colocar o pé no freio.

O Santos voltou mudado no segundo tempo: demonstrando ousadia, o técnico Celso Roth tirou um dos zagueiros, Odvan, para colocar o jovem Diego. A mudança não alterou a configuração do jogo: desatentas na defesa, as duas equipes facilitaram e levaram gols.

Aos 9min, Oséas apareceu sozinho, no lado direito da grande área, e tocou com tranqüilidade na saída do goleiro João Gabriel.

Nem houve tempo para muito comemoração: em outra falha defensiva, a defesa do Santos deixou Fernando Baiano girar na grande área e bater cruzado para Fabiano _ também sozinho _ decretar o novo empate.

O jogo caiu num marasmo a partir do momento em que as duas equipes erravam o passe decisivo antes da conclusão. Aproveitando-se da vantagem no placar, o time gaúcho recuou e chamou o alvinegro para seu próprio campo, esperando se aproveitar dos contragolpes.

Nem isso aconteceu: totalmente atrás, o Inter teve duas chances de contra-atacar, mas com apenas um jogador _ Fábio Pinto _, o que impossibilitou qualquer tentativa de mudança no placar.

Desesperado, o Santos não conseguiu coordenar suas jogadas ofensivas e esbarrou sempre na forte marcação gaúcha.

SANTOS
Fábio Costa; Odvan (Diego), Preto e Cléber; Michel; Marcelo Silva, Paulo Almeida, Robert (Esquerdinha) e Léo; William (Thiago) e Oséas. Técnico: Celso Roth

INTERNACIONAL-RS
João Gabriel; Márcio, Bernardi, Ronaldo e Cássio; Alexandre, Clayton, Diogo Rincón e Carlos Miguel (Duílio); Fabiano (Leandro Guerreiro) e Fernando Baiano (Fábio Pinto). Técnico: Ivo Wortmann

Gols: Odvan aos 2min, Fernando Baiano aos 6min, Oséas aos 10min e Fernando Baiano (pênalti) aos 32min do primeiro tempo; Oséas aos 9min, Fabiano aos 16min
Juiz: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Bernardi, Márcio, Carlos Miguel, Duílio, Diogo Rincón, Fernando Baiano, Cléber, Marcelo Silva, Thiago, Preto, Robert e Odvan
Local:Vila Belmiro, hoje à noite

Saiba tudo sobre a Copa do Brasil:

  • Artilheiros
  • Artilheiros da história
  • Calendário
  • Campeões
  • Chave
  • História
  • Regulamento
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página