Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/05/2002 - 23h52

Corinthians empata com o Brasiliense e conquista a Copa do Brasil

Publicidade

da Folha Online

O Corinthians ficou no empate em 1 a 1 com o Brasiliense, em Taguatinga (DF), e conquistou seu segundo título da Copa do Brasil. Foi a segunda taça de campeão que o clube ergue em três dias, já que no domingo venceu o São Paulo e foi campeão do Torneio Rio-São Paulo.

A conquista também dá ao time, que disputou sua primeira temporada no comando do técnico Carlos Alberto Parreira, uma vaga assegurada na Taça Libertadores da América do ano que vem.

Clique aqui para conferir lance a lance o jogo da decisão, disputada no estádio Serejão, lotado por cerca de 32 mil pessoas.

Criado há menos de dois anos pelo senador cassado Luiz Estevão, o Brasiliense perde a chance de se consagrar como a maior zebra da história da competição. Após surpreender rivais de peso _Fluminense e Atlético-MG_, o time de uniforme todo amarelo engrossou nas finais, mas não conseguiu impedir o título corintiano.

A equipe de Parque São Jorge, que havia vencido o jogo de ida por 2 a 1, na semana passada, no Morumbi, começou a partida errando muitos passes e deixando o Brasiliense levar algum perigo ao seu gol. Em 17 minutos de partida, a equipe paulista já havia errado 15 passes.

O meia Gil Baiano conseguia dominar o meio de campo e com isso armava as principais jogadas do time do Distrito Federal.

Apesar de ter as melhores chances para abrir o placar, o ataque do Brasiliense parava nas mãos Dida, que provavelmente fez sua última partida pelo Corinthians, já deverá retornar para o Milan após a Copa do Mundo.

No primeiro tempo, o volante Vampeta foi o único jogador do Corinthians que conseguiu levar perigo ao gol adversário, arriscando alguns chutes de longa distância.

O Brasiliense insistiu no ataque e faltando quatro minutos para o final da primeira etapa chegou ao gol. Wellington Dias bateu falta com perfeição sem chances de defesa para o goleiro Dida. Foi o oitavo gol do atacante na competição, que se isolou na vice-liderança da aretilharia da Copa do Brasil.

Com o resultado a seu favor o Brasiliense se fechou na defesa e passou a explorar os contra-ataques com perigo.

Aos poucos o Corinthians foi equilibrando a partida e conseguiu o gol de empate através do artilheiro Deivid. O atacante aproveitou um cruzamento de Leandro e fez o seu 13º gol na Copa do Brasil, o maior número de gols já obtido por um jogador na história do torneio.

Depois do empate, o Corinhtians começou a valorizar a posse de bola e trocar passes, esperando o fim da partida. O Brasiliense teve que partir para a pressão, mas não conseguiu um gol, que levaria o jogo para a disputa de pênaltis.

O técnico Parreira deixou o campo emocionado e amparado pelo seguranças do clube. "Esse time é de muita personalidade e muita garra, todos estão de parabéns."

O meia Ricardinho agradeceu a sua família que o apoiou durante toda a temporada. "Sem o apoio dos familiares não chegaríamos a lugar nenhum", disse o jogador que chegou ao seu sétimo título em quatro anos de clube.

BRASILIENSE:
Donizetti; Moisés (Rodrigo Ayres), Aldo, Thiago e Emerson; Evandro, Carioca, Maurício (Lê) e Gil Baiano; Wellington Dias e Jackson (Weldon).
Técnico: Péricles Chamusca

CORINTHIANS:
Dida; Rogério, Fábio Luciano, Anderson e Kléber; Vampeta (Fabinho), Fabrício e Ricardinho; Deivid, Leandro (Renato) e Gil.
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Gols: Wellington Dias aos 41min do primeiro tempo. Deivid aos 19min do segundo tempo
Cartões amarelos: Fabrício (C) e Fábio Luciano (C)
Local: estádio Serejão, em Taguatinga
Juiz: Wilson de Souza Mendonça (PE)

Saiba tudo sobre a Copa do Brasil:
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página