Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/05/2002 - 23h05

Empate coloca o São Paulo na final do Superpaulista

Publicidade

GUIO BASTOS
da Folha Online

O São Paulo jogou com o regulamento embaixo do braço para chegar a final do Superpaulista. Hoje, no Canindé, a equipe do técnicio Oswaldo de Oliveira empatou em 2 a 2 com o Palmeiras e se garantiu na decisão da competição.

Como havia ganho o primeiro confronto por 2 a 0, o São Paulo entrou em campo precisando de apenas um empate. Derrota por uma diferença de apenas um gol também servia para a equipe do Morumbi.

Na final, o São Paulo enfrentará o Ituano, que perdeu para o Corinthians por 3 a 2, mas se classificou já que havia vencido o primeiro confronto por 2 a 0.

Os gols só saíram na etapa final. Fábio Simplício, a 1min, e Sandro Hiroshi, que fez o seu primeiro gol nesta temporada, aos 32min, marcaram para o São Paulo.

Itamar, aos 18min, e Nenê, que fez a sua estréia na equipe do Palmeiras, aos 40min, descontaram para o time de Parque Antarctica.

A eliminação em mais um torneio poderá complicar a situação de Wanderley Luxemburgo no Palmeiras. Ao final do jogo, a torcida não perdoou o técnico, o xingando de "burro" e pedindo a sua saída.

Do outro lado, em situação muito tranqüila, encontra-se o técnico Oswaldo de Oliveira. Depois de dois jogos no comando da equipe, o treinador já decide um título.

No jogo, o Palmeiras, como precisava do resultado, foi para cima do São Paulo.

As melhores chances de gol surgiram com o jovem Pedro, pela lateral-direita. Sem jogadores criativos no meio-de-campo, o Palmeiras abusou dos cruzamentos para a área de Rogério.

O São Paulo deu muito trabalho para Sérgio aos 13min. Primeiro, Dill arriscou. Depois, foi a vez de Reinaldo chutar para defesa milagrosa do goleiro.

O segundo tempo começou a todo vapor. Logo a 1min, Reinaldo deixou Fábio Simplício em excelente situação de gol. O atacante acertou um chute forte no canto de Sérgio e abriu o placar para o São Paulo.

O Palmeiras sentiu o gol e, desesperado, abriu a defesa. Itamar colocou a equipe de Parque Antarctica no jogo novamente aos 18min. O atacante recebeu a bola e, sem marcação, colocou na saída de Roger.

Mas Sandro Hiroshi liquidou o Palmeiras aos 32min. Depois de uma bonita tabela entre Júlio Baptista e Reinado, o atacante não deu chance para Sérgio.

Aos 40min, Nenê, que fazia a sua estréia com a camisa do Palmeiras, deixou tudo igual, mas de nada adiantou.

SÃO PAULO
Roger, Rafael, Émerson, Jean e Gustavo Nery; Maldonado, Fábio Simplício (Reginaldo), Adriano (Souza) e Júlio Baptista; Reinaldo e Dill (Sandro Hiroshi).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

PALMEIRAS
Sérgio, Pedro, Alexandre, César e Taddei(Nenê); Paulo Assunção, Magrão, Célio (Fabiano Eller) e Lopes (Muñoz); Itamar e Christian.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Gols: Fábio Simplício, a 1min; Itamar, aos 18min; Sandro Hiroshi, aos 32min; e Nenê, aos 40min do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gustavo Nery, Adriano, Júlio Batista, César e Célio.
Juiz: Sálvio Espínola Fagundes Filho
Local: estádio do Canindé

Saiba tudo sobre o Superpaulista




 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página