Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/10/2002 - 22h25

Em jogo dramático, São Paulo vence o Santos e assume a liderança

SILVIO NAVARRO
da Folha Online

O clássico paulista entre São Paulo e Santos sugeria um jogo cheio de gols. E foi. A badalação que envolvia o confronto entre os dois times mais ofensivos do país apontava uma noite emocionante. E foi mais do que isso. Além da chuva de gols, a partida teve a dramaticidade que caracteriza os grandes clássicos e terminou em polêmica.

Diante de um Morumbi lotado, o São Paulo derrotou o Santos por 3 a 2, ultrapassou o rival na tabela de classificação e assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro, com 34 pontos, dois a mais do que o adversário, que tem o mesmo número que o São Caetano. O time do ABC joga nesta quinta contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte.

Luis Fabiano e Ricardinho, ambos de pênalti, e Reinaldo marcaram os gols para os anfitriões. Robert, em chute de primeira da entrada da área, e Diego, também de pênalti, fizeram para os visitantes.

No duelo das reveleções, os santistas foram melhor no primeiro tempo. Diego e Robinho infernizaram a defesa são-paulina, mas não consegiram reverter em gols as boas jogadas.

No segundo tempo, foi a vez de o São Paulo dominar, comandado por Kaká. O meia-atacante sofreu o pênalti batido por Luis Fabiano e, em seguida, deu o passe para Reinaldo marcar.

Mas, assim como destacou-se positivamente, a maior revelação são-paulina dos últimos anos também se sobressaiu negativamente. Kaká fez o pênalti que levou o Santos ao empate e, logo depois, foi expulso de campo. O argentino Ameli e o santista Paulo Almeida também receberam o cartão vermelho.

O jogo

No primeiro tempo só deu Santos. A equipe da Baixada Santista desperdiçou pelo menos uma chamce clara de gol aos 22min, quando Robinho ganhou na velocidade da zaga são-paulina, ficou cara a cara com Rogério Ceni, mas chutou à esquerda do goleiro.

A etapa final foi tão movimentada quanto a primeira, mas repleta de gols. O São Paulo abriu o placar aos 14min do segundo tempo. Reinaldo lançou Kaká na entrada da área; o meia entrou em velocidade e driblou o goleiro Júlio Sérgio, que o derrubou. O árbitro Cleber Wellington Abade marcou pênalti, que Luis Fabiano converteu no canto esquerdo alto do goleiro.

O gol desestruturou o time da cidade litorânea, e os anfitriões marcaram o segundo dois minutos depois. Kaká fez boa jogada pelo meio e enfiou para Reinaldo na esquerda, que bateu cruzado, na saída de Júlio Sérgio; a bola ainda tocou na trave esquerda do goleiro antes de entrar.

Aos 19min, o volante Paulo Almeida foi expulso após cometer falta em Kaká.

Mas a festa são-paulina durou pouco. Aos 26min, o Santos empatou em uma jogada pela esquerda de Léo, que Robert completou no ângulo direito de Rogério.

Era o começo da reação santista e a vez do São Paulo se desestabilizar. No lance seguinte, novamente em uma arrancada de Léo pela esquerda, o argentino Ameli foi expulso após um carrinho violento.

Aos 33min, Kaká, que havia recebido um amarelo dez minutos antes, cometeu falta em Léo na área e também foi expulso. O juiz marcou pênalti, e teve início uma grande polêmica.

"Fiz um pênalti infantil, na hora que não precisava", lamentou o principal astro são-paulino.

O garoto Diego, de 17 anos, principal revelação do time santista, cobrou, Rogério se adiantou e defendeu. O árbitro, atendendo marcação do bandeirinha, mandou voltar a cobrança. O goleiro são-paulino, capitão da equipe, chegou a empurrar o juiz, mas levou apenas o amarelo. Desta vez Diego bateu forte, no canto esquerdo do goleiro são-paulino e empatou o jogo.

Enquanto os donos da casa reclamavam com a arbitragem, Diego tirou a
camisa e foi comemorar o gol sambando em cima do símbolo do São Paulo, que fica na beira do gramado. A atitude do meia revoltou a torcida e os jogadores rivais. Santistas e são-paulinos trocaram tapas e empurrões e retardaram o reinício da partida em cinco minutos.

Aos 44min, inflamado pela torcida, o São Paulo chegou ao gol da vitória novamente de pênalti, cometido por Léo em Reinaldo, na entrada da área.

Ricardinho cobrou no canto esquerdo rasteiro do goleiro Júlio Sérgio. Na comemoração, o meia, principal contratação do clube nos últimos anos, ajoelhou-se sobre o mesmo símbolo que Diego festejou o gol, e saudou sua torcida.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Gabriel, Ameli, Jean e Jorginho Paulista; Maldonado, Fábio Simplício, Kaká e Ricardinho; Luís Fabiano (Júlio Santos) e Reinaldo
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Júlio Sérgio; Maurinho (Robert), André Luís, Alex (Pereira) e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (William) e Diego; Robinho e Alberto
Técnico: Émerson Leão

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Cleber Wellington Abade (SP)
Cartões amarelos: Maldonado, Luís Fabiano, Rogério Ceni, André Luís e Júlio Sérgio
Cartões vermelhos: Paulo Almeida, Ameli e Kaká
Gols: Luís Fabiano, aos 12min, Reinaldo, aos 14min, Robert, aos 26min, Diego, aos 38min, e Ricardinho, aos 44min, do segundo tempo

Leia mais: Campeonato Brasileiro
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página