Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/11/2002 - 18h10

Fluminense quebra tabu e vence o São Caetano

da Folha Online

O Fluminense quebrou o tabu de nunca ter vencido o São Caetano na história ao derrotar o rival por 3 a 0, neste domingo, no Maracanã. Os cariocas contaram com a tarde inspirada dos atacantes Romário, Roni e Magno Alves, que deixaram o time perto das semifinais do Campeonato Brasileiro.

Quem esperava um São Caetano jogando fechado e apostando nos contra-ataques se deu mal. Pelo menos no primeiro tempo, o time de Mário Sérgio foi ao ataque e perdeu inúmeras chances de gol, principalmente com os atacantes Adhemar e Robert.

No segundo tempo, o Fluminense voltou em busca do gol e abriu o placar aos 21min. Romário deu um belo passe para Magno Alves, que entrou no lugar do meia Yan e chutou cruzado, sem chances para o goleiro Silvio Luiz.

Oito minutos depois, os cariocas ampliaram em jogada semelhante. Romário tocou para Roni, o atacante driblou Fábio Santos e não teve trabalho para novamente vencer o goleiro do São Caetano.

O castigo dos paulistas aumentou aos 44min. Romário bateu falta com força, Silvio Luiz soltou e novamente Magno Alves marcou, sacramentando a vitória do time da casa.

Com o placar de 3 a 0, o Fluminense poderá perder por até dois gols de diferença na próxima quarta-feira no estádio Anacleto Campanella, que mesmo assim garantirá vaga para as semifinais do Campeonato Brasileiro.

FLUMINENSE
Kleber; Flávio, César, Zé Carlos e Marquinhos; Marcão, Marciel (Carlos Alberto), Yan e Beto; Roni e Romário
Técnico: Renato Gaúcho

SÃO CAETANO
Sílvio Luiz; Marlon, Serginho, Dininho e Lúcio; Fábio Santos, Claudecir, Iriney e Magrão; Adhemar e Robert (Vagner)
Técnico: Mário Sérgio

Local: Maracanã
Público: 61.475 pagantes
Renda: R$ 555.889
Juiz: Luciano Almeida (Fifa-DF)
Cartões amarelos: Beto, Romário, Magrão, Yan, Iriney e Serginho
Gols: Magno Alves, aos 22min e aos 43min e Roni, aos 30min do segundo tempo

Leia mais: Campeonato Brasileiro
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página