Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/05/2003 - 20h04

Desfalcado, Santos bate o Criciúma e é terceiro no Brasileiro

da Folha de S.Paulo

Mesmo sem Diego e Ricardo Oliveira, duas de suas principais estrelas, o Santos suportou a pressão do Criciúma e saiu de Santa Catarina com uma vitória por 3 a 1. Com o resultado, ultrapassou na tabela Atlético-MG, derrotado pela Ponte, e Flamengo, que havia vencido no sábado o Vitória, e chegou à terceira colocação.

Com 14 pontos, está atrás de Cruzeiro, que tem 17, e Inter, com 18, tornando ainda mais importante o jogo da próxima rodada contra o time de Wanderley Luxemburgo, vice-líder do torneio.

Apesar da vitória, Emerson Leão continua batendo na tecla de que a diretoria precisa contratar reforços, já que não teria muitas peças de reposição.

Contra o Criciúma, o técnico não pôde contar com Diego e Ricardo Oliveira, já que ambos estavam suspensos. Para o jogo contra o Cruzeiro, André Luís e Paulo Almeida não irão atuar, pois receberam o terceiro amarelo ontem.

Elano é outro que deve desfalcar o time, já que deixou o gramado do estádio Heriberto Hulse com entorse no tornozelo esquerdo.

Apesar de pressionado pela torcida, revoltada com a goleada da rodada anterior para o Atlético-PR, foi apenas aos 30min de jogo que o Criciúma criou sua primeira chance. Delmer recebeu cruzamento e, de dentro da área, chutou forte, só que à direita do gol defendido por Fábio Costa.

Seis minutos depois quem marcou foi o Santos, numa bela jogada de Nenê. O meia-atacante recebeu na entrada da área, ajeitou para a esquerda e chutou forte. A bola entrou à direita de Fabiano, que não conseguiu espalmá-la.

No minuto seguinte, em outro bom contra-ataque, por pouco o Santos não ampliou. Douglas tocou para Elano. Livre, ele chutou em cima de Fabiano.

Mais um minuto se passou e mais uma chance desperdiçou o time de Emerson Leão. Léo passou para Nenê, que cruzou para Douglas marcar. Carlos Eugenio Simon assinalou impedimento do atacante e anulou o gol.

Logo no início da fase final, Elano deixou o campo contundido. Ele pode ficar duas semanas afastado dos gramados.

Mesmo sem Elano, que vinha muito bem no jogo, o time da Vila Belmiro aproveitou o nervosismo do rival e continuou melhor. Aos 8min, Léo perdeu boa chance, mas aos 12min Robinho não. Ele recebeu a bola e bateu firme, no canto esquerdo de Fabiano, fazendo 2 a 0 para os santistas.

Após o segundo gol dos visitantes, a torcida do Criciúma explodiu e passou a xingar seus jogadores. Pedia providências da diretoria, que chegou a acusar alguns atletas, sem citar nomes, de estariam cometendo exageros em festas noturnas e se dedicando pouco aos treinamentos.

Quando os torcedores mais reclamavam e hostilizavam os atletas da equipe catarinense, o Criciúma diminuiu. Juca passou para Jabá, que sofreu pênalti de Alexandre. Paulo Baier bateu rasteiro, à direita de Fábio Costa, que não teve chances de defender.

Quando os catarinenses davam a impressão que poderiam empatar, criando boas jogadas com Jabá e Paulo Baier, o Santos conseguiu ampliar. Nenê, que teve uma boa atuação, teve sua camisa puxada dentro da área. Ele próprio cobrou a penalidade e definiu a partida, aos 48min.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página