Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/07/2003 - 17h59

Corinthians empata no final, impede recorde e dá sobrevida a Geninho

da Folha Online

O técnico Geninho ganhou sobrevida no Corinthians graças a um gol aos 46min do segundo tempo. O time da capital conseguiu o empate em 1 a 1 com o Santos, nesta quarta-feira, no Morumbi, e pelo menos nos próximos dias não se ouvirá falar em demissão no Parque São Jorge.

O gol salvador foi marcado pelo atacante reserva Leandro Amaral, nos acréscimos. Nenê, aos 13min do primeiro tempo, abriu o placar para o atual campeão brasileiro.

O empate põe fim a uma sequência vitoriosa do Santos. Se tivesse triunfado, o clube da Baixada alcançaria seu sexto resultado positivo sobre o arqui-rival, feito que nem Pelé & cia. conseguiram na época áurea do clube.

Com o ponto conquistado, o time do técnico Emerson Leão passa a ocupar a terceira posição, com 31 pontos. Já o Corinthians tem 24.

O jogo

As duas equipes começaram explorando a jogada aérea e chegaram a assustar. Logo aos 2min, após cruzamento do lateral-esquerdo Vinícius, Liedson se antecipou à zaga santista e desviou de cabeça, por cima do gol de Fábio Costa. Sete minutos depois foi a vez do Santos tentar de cabeça. André Luís testou forte depois de cobrança de escanteio, mas Doni, bem posicionado, fez a defesa.

Se não deu por cima, o time da Vila fez por baixo. Aos 13min, em um rápido contra-ataque, Nenê recebeu passe de Ricardo Oliveira, dominou na frente de Fábio Luciano e chutou rasteiro, à esquerda de Doni, para abrir o placar. Foi o nono gol do artilheiro santista no campeonato.

Depois do gol a equipe comandada por Leão recuou e, apesar da boa marcação, chegou a ser pressionada. Fábio Costa lembrou por alguns instantes a atuação da finalíssima de 2002 ao fazer duas boas defesas. A primeira em um chute forte de Liedson, e momentos depois em uma batida não menos potente de Gil.

No segundo tempo o jogo foi ruim tecnicamente. O Santos se protegia como podia, passando a jogar nos contra-ataques. O Corinthians tentava sufocar e a pressão deu certo no final. Aos 46min, Renato cobrou falta com força de longa distância, Fábio Costa soltou e Leandro Amaral tocou para o gol.

O gol deixou os ânimos acirrados. Fábio Costa e Liedson se estranharam e quase deram início a um tumulto generalizado, que foi impedido com a entrada de policiais militares no campo.

CORINTHIANS
Doni; Rogério, Fábio Luciano, César e Vinícius; Fabinho, Fabrício (Leandro Amaral), Jorge Wagner (Renato) e Fumagalli; Gil e Liedson.
Técnico: Geninho

SANTOS
Fábio Costa; Elano (Reginaldo Araújo), Pereira (Preto), André Luís e Léo; Alexandre, Renato, Fabiano e Jerri (Rubens Cardoso); Nenê e Ricardo Oliveira.
Técnico: Emerson Leão

Gols: Nenê, aos 13min do primeiro tempo, e Leandro Amaral, aos 46min da etapa final
Cartões amarelos: Fabrício, Fábio Luciano, Vinícius, Renato e Fabinho (C); Fábio Costa, Pereira, Elano, Alexandre e Fabiano (S)
Local: estádio Morumbi, em São Paulo
Juiz: Salvio Spínola Fagundes Filho (SP)

Especial
  • Campeonato Brasileiro
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página