Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/08/2003 - 17h55

Santos supera desfalques, vence o Paraná e se iguala ao Cruzeiro

da Agência Folha

Sem Robinho e com Diego pouco inspirado, o Santos teve que recorrer ao zagueiro Alex e ao sol para vencer o Paraná por 2 a 1 no Couto Pereira e, pela primeira vez em 17 rodadas, igualar-se ao Cruzeiro no topo do Campeonato Brasileiro, com 48 pontos.

O time de Wanderley Luxemburgo, que neste sábado foi batido pelo São Caetano por 2 a 0, deixou de ser líder isolado e agora só leva vantagem sobre os paulistas no saldo de gols: 21 contra 19.

Para alcançar sua 14ª vitória no Nacional, Emerson Leão teve que lançar mão de sua sexta opção no ataque, o novato Val Baiano, 22. Além das suspensões de Robinho e de Nenê e da venda de Ricardo Oliveira, o técnico não pôde contar com William, convocado para a seleção sub-20, e com Marcelo, que se machucou no último treino antes do jogo.

Sem entrosamento com Fabiano, seu companheiro de ataque, Val Baiano pouco fez em sua estréia. Diego, que teria a função de armar as jogadas ofensivas, também teve uma tarde ruim.

O jogo começou eletrizante. Logo aos 5min, o time visitante abriu o placar. Alex bateu falta com força. A bola fez uma curva ao lado da barreira e entrou no canto esquerdo de Flávio.

Os santistas não tiveram nem tempo para comemorar. No lance seguinte, Caio dominou a bola e tocou para Renaldo, que invadiu a área e bateu cruzado, sem defesa para Fábio Costa.

A partir daí, a partida ficou morna. A única chance real de gol foi desperdiçada por Val Baiano, aos 18min. Cara a cara com Flávio, o atacante chutou por cima, depois de bom passe de Fabiano.

Ao fim da etapa inicial, atletas das duas equipes reclamavam dos erros nos arremates.

No intervalo, Leão sacou o pouco criativo Diego e apostou no atacante Jerri, que daria mais velocidade ao Santos.

No segundo tempo, os paulistas repetiram a "fórmula" do início da partida e voltaram à frente no placar. Aos 4min, após cobrança de escanteio, o zagueiro Alex cabeceou livre para marcar pela segunda vez. Atrapalhado pelo sol, Flávio, que chegou a usar boné em campo, nada pôde fazer.

Em desvantagem, o Paraná lançou-se ao ataque, mas sem eficiência. Nas poucas vezes em que furou o bloqueio santista, o ataque parou em Fábio Costa.

A pressão dos paranaenses aumentou mais ainda quando, aos 27min, o zagueiro André Luiz levou cartão vermelho, após dar um tapa em Marquinhos.

Para recompor a zaga, Leão voltou a mexer no time: tirou Val Baiano e pôs Preto. A partir daí, o time só se defendeu. Mas o Paraná, que abusou do "chuveirinho", não conseguiu chegar ao gol.

PARANÁ
Flávio; Fernando Lombardi, Rodrigo Silva e Cristiano Ávalos; Goiano, Emerson (Flávio Guilherme), Fernando Miguel, Marquinhos e Caio; Renaldo e Maurílio (Fernandinho)
Técnico: Saulo de Freitas

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo (Alexandre), Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego (Jerri); Fabiano e Val Baiano (Preto)
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio Couto Pereira, em Curitiba
Juiz: Jorge Fernando Rabello (RJ)
Auxiliares: Eurivaldo Faria Lima (RJ) e Mário Jorge Marques Oliveira (RJ)
Cartões amarelos: Léo, Elano, Paulo Almeida, Jerri (S), Renaldo, Rodrigo Silva (P)
Cartão vermelho: André Luís (S)
Gols: Alex, aos 3min, Renaldo, aos 5min do primeiro tempo; Alex, aos 5min do segundo tempo.

Especial
  • Campeonato Brasileiro
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página