Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/12/2003 - 00h13

São Paulo é eliminado pelo River, e Brasil segue "freguês" da Argentina

Publicidade

da Folha Online

Em jogo marcado por brigas e expulsões, o São Paulo foi eliminado nesta quarta-feira da Copa Sul-Americana pelo River Plate, nos pênaltis, no Morumbi, no segundo jogo entre as duas equipes pelas semifinais, e não conseguiu pôr fim à série de insucessos dos clubes brasileiros contra rivais argentinos em mata-matas de competições sul-americanas.

No tempo normal, a equipe paulista venceu por 2 a 0 e conseguiu igualar a derrota por dois gols de diferença (3 a 1) sofrida em Buenos Aires. No desempate, no entanto, o adversário foi mais eficiente (4 a 2) e se garantiu na decisão da competição.

A eliminação são-paulina foi a quarta seguida de um time brasileiro para um argentino em mata-matas de torneios continentais. Pior: nas últimas dez disputas desse tipo, os argentinos venceram oito.

Neste ano, o River Plate também foi o responsável pela eliminação do Corinthians, nas oitavas-de-final da Libertadores. Pelo mesmo torneio, o Boca Juniors bateu o Paysandu (oitavas) e Santos (final).

Mesmo entre seleções, o maior rival brasileiro na América do Sul se deu melhor neste ano: ganhou do Brasil na fase final do Sul-Americano sub-20 e acabou campeão. Os argentinos também levaram vantagem na decisão do ouro nos Jogos Pan-Americanos.

Nos últimos dez mata-matas entre os dois arqui-rivais, o futebol brasileiro só triunfou com o Grêmio, que eliminou o próprio River Plate na Libertadores-2002 e o Talleres na Mercosul-2001.

O jogo

Mesmo precisando vencer por diferença de pelo menos dois gols, o time de Roberto Rojas não fez um bom primeiro tempo e levou pouco perigo ao goleiro Costanzo. Os argentinos criaram as melhores chances.

A primeira chance são-paulina veio aos 22min com um chute de longe de Fábio Simplício. No minuto seguinte, o River respondeu com um cobrança de falta de Montenegro, que Rogério Ceni defendeu com dificuldade.

Aos 39min, o atacante Diego Tardelli recebeu livre na área apenas com Costanzo na sua frente, mas, em vez de tentar o drible no goleiro, buscou o passe para a entrada de Simplício, e a zaga argentina afastou o perigo.

Pouco depois, o goleiro Rogério Ceni impediu que o River Plate abrisse o placar, em duas finalizações de Coudet. Na melhor delas, aos 43min, o argentino pegou de primeira, com força, mas Ceni mostrou ótimo reflexo.

O São Paulo começou o segundo tempo melhor, pressionando o adversário em seu campo. A equipe do Morumbi esteve perto de abrir o marcador aos 10min, em dois lances seguidos de ataque.

No primeiro deles, Costanzo fez ótima defesa em chute de Gustavo Nery. Na seqüência, após cobrança de escanteio, Diego Tardelli quase marcou de cabeça, mas a zaga do River tirou quase em cima da linha.

Depois de lances de perigo para os dois lados, o São Paulo chegou ao gol aos 24min. O goleiro Rogério Ceni cobrou falta próxima à área, a bola desviou em um jogador da barreira e sobrou para Rico marcar.

Após o gol, o atacante Diego Tardelli tentou pegar a bola, mas o zagueiro Ameli não deixou e desencadeou uma briga entre os atletas dos dois times. Na confusão, o técnico são-paulino Roberto Rojas foi expulso. Tardelli e Ameli levaram apenas cartão amarelo.

Com o reinício do jogo, o São Paulo demorou apenas cinco minutos para chegar ao segundo gol. Aos 29min, Diego Tardelli bateu colocado de fora da área e acertou o ângulo esquerdo, sem chances para Costanzo.

Nos acréscimos, Rico e Ameli dividiram uma jogada de carrinho e o brasileiro acertou o argentino. Ambos foram expulsos.

Após o juiz apitar o final do segundo tempo, os jogadores dos dois times partiram novamente para a agressão, após o meia Fabiano se desentender com Barrado, que havia entrado no lugar de Luis González.

No final da confusão, que envolveu diversos jogadores, incluindo reservas, o juiz uruguaio Jorge Larrionda expulsou Jean e Luis Fabiano, do São Paulo, e Barrado e Pereyra, do River.

Nos pênaltis, o São Paulo perdeu logo a primeira cobrança. Souza bateu e o goleiro argentino defendeu. O time paulista também errou mais uma com o uruguaio Lugano, que acertou o travessão.

O River Plate só precisou converter as quatro primeiras tentativas --Dominguez, Coudet, Ludueña e Tuzzio-- para fechar a série em 4 a 2. Apenas Rogério Ceni e Fábio Simplício acertaram para o São Paulo.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Gabriel, Jean, Diego Lugano e Fábio Santos; Adriano (Rico), Fábio Simplício, Gustavo Nery (Fabiano) e Souza; Luis Fabiano e Diego Tardelli
Técnico: Roberto Rojas

RIVER PLATE
Costanzo; Ahumada, Ameli, Tuzzio e Ricardo Rojas; Coudet, Guillermo Pereyra, González (Barrado) e Gallardo (Ludueña); Montenegro (Dominguez) e Maxi López
Técnico: Manuel Pellegrini

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Juiz: Jorge Larrionda (Uruguai)
Público: 35.548 (pagantes)
Cartões amarelos: Jean, Fábio Simplício, Diego Tardelli e Diego Lugano (SP); Coudet e Ahumada (RP)
Cartões vermelhos: Rico, Jean e Luis Fabiano (SP); Ameli, Pereyra
e Barrado (RP)
Gols: Rico, aos 24min, e Diego Tardelli, aos 29min, do segundo tempo
Pênaltis: Rogério Ceni e Fábio Simplício (SP); Dominguez, Coudet, Ludueña e Tuzzio (RP)

Especial
  • Copa Sul-Americana
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página