Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/02/2010 - 05h09

Jogos Olímpicos de Inverno são abertos em Vancouver, no Canadá

Publicidade

da Efe, em Vancouver

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver, no Canadá, se centrou em uma homenagem às tribos aborígines do Canadá e foi dedicada ao piloto de luge georgiano Nodar Kumaritashvili, que morreu horas antes, enquanto treinava para cumprir seu sonho olímpico.

Os jogos de Vancouver, que durante mais de três horas tentaram encontrar motivos de júbilo em um dia trágico, começaram com uma cerimônia --dedicada ao atleta georgiano morto-- presidida pela governadora-geral do Canadá, Michaelle Jean; pelo presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), o belga Jacques Rogge; e pelos quatro chefes das tribos indígenas da Colúmbia Britânica (território onde serão disputadas as competições), que tiveram o status de chefes de Estado pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos.

A cerimônia começou com a espetacular irrupção de um praticante de snowboard que deu as boas-vindas aos presentes ao espetacular pavilhão coberto BC Place, com capacidade para 60 mil espectadores.

Após tocar o "Deus Salve a Rainha", hino do Reino Unido e da Commonwealth, a bandeira nacional do Canadá foi içada e levada até o mastro por nove agentes da polícia montada.

A jovem cantora Nikki Yanofsky, de 16 anos, interpretou o hino canadense, que abriu passagem a uma homenagem às quatro primeiras nações aborígines que povoaram o atual território nacional: Lil'watt, Musquean, Squamish e Tsleil-Waututh.

Em seguida chegou o desfile dos atletas, como sempre liderado pela equipe da Grécia, berço dos Jogos Olímpicos e país que em 1896 abrigou os primeiros jogos da era moderna, e fechado pelo país anfitrião, nesse caso o Canadá.

Em ordem alfabética desfilaram as demais seleções. Alguns esportistas exibiam braceletes pretos em sinal de luto pela morte de Kumaritashvili, que morreu horas antes em um aterrorizante acidente enquanto treinava na pista de Whistler para competir na modalidade de luge (trenó) individual.

Um dos momentos mais emocionantes do desfile aconteceu quando entrou a equipe georgiana, liderado por Gia Natsvlishvili, presidente do comitê olímpico nacional, e cujo porta-bandeira foi o esquiador alpino Iason Abramashvili. Todos os presentes se levantaram para dedicar aos atletas a mais calorosa das ovações.

Pelo Brasil, Isabel Clark Ribeiro (snowboard) levou a bandeira nacional.

Os atletas canadenses, por sua condição de anfitriões, fecharam o desfile, que abriu caminho para o show musical de dois dos cantores canadenses mais conhecidos internacionalmente, Bryan Adams e Nelly Furtado, que interpretaram juntos a canção "Bang the Drum", e de Jim Vallance, produtor e compositor muito famoso no país.

A voz do veterano ator canadense Donald Sutherland abriu o espetáculo de luz e som que elogiava o patrimônio natural canadense e durante o qual também atuaram outros artistas nascidos ali.

Após os discursos de John Furlong, presidente do comitê organizador, e Jacques Rogge, a governadora-geral do Canadá, Michaelle Jean, declarou inaugurados os jogos.

A bandeira olímpica entrou no estádio fachada por seis ilustres canadenses: o mencionado Donald Sutherland; Bobby Orr, lenda do hóquei sobre gelo; a cantora Anne Murray; o piloto Jacques Villeneuve, campeão mundial de Fórmula 1 e das 500 Milhas de Indianápolis; Betty Fox, mãe do ativista da luta contra o câncer Terry Fox; Barbara Ann Scott-King, campeã olímpica de patinação artística em 1948; o senador Romeo Dallaire, observador das Nações Unidas nos conflitos de Uganda e Ruanda em 1993; e a astronauta Julie Payette.

Após guardar-se um minuto de silêncio em memória de Kumaritashvili, os encarregados de fazer o Juramento Olímpico foram: a jogadora de hóquei Hayley Wickenheiser, por parte dos esportistas, e Michel Verrault (patinação de velocidade), pela dos juízes e árbitros.

A incógnita de saber quem seria o encarregado de fazer o último revezamento da tocha olímpica e de acender a pira se dissipou no final da cerimônia. Fizeram-no conjuntamente a ex-esquiadora Nancy Greene, que se destacou nos anos 60; o jogador de basquete Steve Nash, duas vezes nomeado jogador mais valioso (MVP) da NBA; e o ex-jogador de hóquei Wayne Gretzky, considerado o melhor jogador da história.

A pira original ia ser formada por quatro pilares entrelaçados e um central, mas um deles não conseguiu se armar. Assim, dois dos cinco últimos revezadores não puderam acendê-lo: Rick Hansen, multimedalhista paraolímpico, e Catriona LeMay Doan, duas vezes campeã olímpica de patinação de velocidade em 1998 e 2002.

A cerimônia de abertura terminou com uma queima de fogos.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página