Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/12/2005 - 10h34

Final do Mundial impede o fracasso de público temido no torneio

Publicidade

da Folha de S.Paulo

Mesmo sem um time local, o 2º Mundial de Clubes da Fifa praticamente igualou a média de público da primeira edição, realizada no Brasil. Em compensação, houve queda da média de gols marcados.

No primeiro campeonato, a média de público foi de 35.942 (total de 503.200). Desta vez, ficou em 35.833 (total de 215.003) graças à final de hoje, que contou com 66.821.

Ou seja, quase encheu os 72 mil lugares disponíveis. Assim, minimizou a preocupação da Fifa, que temia um estádio vazio e chegou a distribuir ingressos para estudantes.

No Mundial de 2000, a decisão teve todos os 73 mil bilhetes vendidos, pois o jogo foi no Rio de Janeiro, sede do Vasco, um dos finalistas. Mas a Fifa ainda estuda incluir um time da casa na próxima edição para aumentar a atratividade.

Neste Mundial, o Liverpool atraiu em seus jogos mais torcedores que o São Paulo.

Houve uma queda na média de gols da competição, de 3,07 para 2,71 por partida. Nos dois campeonatos, as finais foram os jogos com menor número de gols: nenhum em 2000 e apenas um neste ano.

O campeão São Paulo teve média de dois gols. O melhor ataque foi o do Al Ittihad.

Especial
  • Leia cobertura completa sobre o Mundial de Clubes
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


    Voltar ao topo da página