Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/12/2000 - 18h02

Geninho assina contrato de seis meses com o Santos

Publicidade

da Agência Folha, em Santos

O técnico Geninho disse hoje, ao se apresentar na Vila Belmiro, que acertou um contrato de apenas seis meses com o Santos porque tem a expectativa de se valorizar caso obtenha êxito em sua terceira passagem pelo clube.

O treinador afirmou que partiu dele próprio a opção por um contrato de curto prazo. Segundo Geninho e o presidente Marcelo Teixeira, a pretensão do Santos era formalizar um acordo por 12 meses.

"O tempo de contrato foi sugestão minha, e não do Marcelo, que queria um ano. Se conseguir um título paulista (que o Santos não conquista há 16 anos), estarei muito mais valorizado. Então, estou apostando em mim", declarou o técnico, campeão do módulo amarelo da Copa João Havelange pelo Paraná Clube.

O compromisso do treinador que antecedeu Geninho também era de curto prazo. No mês passado, Carlos Alberto Parreira assinou por dois meses, argumentando que posteriormente discutiria um contrato por prazo maior, mas acabou pedindo demissão.

Parreira ganhava R$ 100 mil por mês. O valor do salário de Geninho não foi divulgado, mas, de acordo com a nova política salarial do clube, a pretensão da diretoria era contratar um técnico por até R$ 50 mil mensais.

Treinador do Santos por duas vezes (86-87 e 92), Geninho disse acreditar que não terá problemas para lidar com as estrelas do time, apontadas como co-responsáveis pelas demissões de dois treinadores neste ano _Carlos Alberto Silva e Giba.

Para o técnico, o trabalho com os jogadores dependerá do estabelecimento de uma relação de confiança. Há 15 anos como treinador, o ex-goleiro Geninho disse ter comandado sem dificuldades atletas considerados "problemáticos", como o uruguaio Rodolfo Rodriguez, no Santos e, recentemente, o sérvio Petkovic, no Vitória. "Disciplina é tudo, mas não precisa ser imposta com chicote, a ferro e fogo", declarou.

O presidente Marcelo Teixeira, que tenta negociar alguns dos jogadores do grupo para levantar recursos, afirmou que o treinador terá "total respaldo" para tomar qualquer decisão.

Geninho disse que quer aproveitar os atuais integrantes da comissão técnica e complementá-la com outros nomes que pretende indicar. Segundo o treinador, a escolha do ex-jogador Serginho Chulapa para a função de auxiliar foi um pedido dele, quando começou a negociar com o Santos.

Antes da apresentação oficial, o novo treinador manteve uma reunião com o presidente Marcelo Teixeira, o gerente de futebol Luiz Henrique de Menezes, além de Serginho e dirigentes da área do futebol.

No encontro, ele disse que começou a estudar os critérios para selecionar, entre os mais de 50 jogadores que pertencem ao Santos, os cerca de 30 que vão participar da pré-temporada, a partir de 3 de janeiro. "Para a pré-temporada, o grupo terá de estar de 80% a 90% definido", afirmou.

Leia também:
Santos reclama primeiro posto na eleição dos melhores clubes do século

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página