Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/03/2006 - 09h59

Acusado de racismo, Antonio Carlos é suspenso por 60 dias

Publicidade

da Folha de S.Paulo

O zagueiro Antonio Carlos, 37, do Juventude, foi suspenso ontem por 60 dias pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) do Rio Grande do Sul. A decisão tem caráter provisório, já que o julgamento do atleta deverá ocorrer somente na próxima semana.

Se mantida a suspensão, o zagueiro não joga mais o Campeonato Gaúcho. Sua pena, no entanto, poderá ser ainda maior e chegar a 780 dias.

Antonio Carlos foi acusado de racismo por xingar o volante Jeovânio, do Grêmio --que é negro--, e fazer um sinal em que alisava o braço com o dedo, depois acertar uma cotovelada no rival e ser expulso da partida.

Pela denúncia, o zagueiro foi citado nos artigos 253 (agressão física contra o juiz ou qualquer participante do evento) e 187 (ofensas morais) do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva).

O jogador disse que estava com um corte em um dos braços e que fez o gesto em resposta a uma provocação do lateral Patrício, da equipe rival.

"Ele disse que eu jogava em um timinho. Aí eu falei que minha pele já foi de vários clubes grandes", justificou.

O juiz relatou, na súmula, a atitude do jogador em campo e o Ministério Público, que também irá investigar o caso, já requisitou as fitas do confronto.

O Juventude ainda não se posicionou sobre a decisão do TJD, já que o zagueiro, por ter levado o terceiro amarelo e o vermelho, estaria fora dos próximos jogos.

Especial
  • Leia mais notícias no especial da Copa do Brasil
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página