Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/04/2006 - 18h05

Com arbitragem confusa, São Paulo vence Santos e adia decisão

Publicidade

da Folha Online

Em clássico marcado por polêmicas da arbitragem, o São Paulo venceu o Santos de virada, por 3 a 1, neste domingo, no Morumbi, e adiou para a última rodada a decisão de quem será o campeão paulista deste ano.

Com o triunfo, o São Paulo, que ainda sonha com o bi do Estadual, chega aos 39 pontos, apenas um a menos que o Santos, que precisava de um simples empate para acabar com o jejum de conquistas regionais que se arrasta desde 1984.

No próximo domingo, o São Paulo joga contra o Ituano, em Mogi Mirim, enquanto o Santos joga contra a ameaçada Portuguesa, na Vila Belmiro.

A arbitragem, que voltou a usar o polêmico ponto eletrônico para comunicação entre o juiz e os auxiliares, foi destaque negativo no clássico deste domingo. Os três primeiros gols aconteceram em jogadas duvidosas --além de um gol legal são-paulino ter sido anulado.

"Se não houvesse tantos erros, o São paulo poderia ter vencido de forma mais fácil", reclamou Rogério Ceni.

No gol do Santos, marcado de pênalti por Léo Lima, o São Paulo reclamou que Reinaldo teria se jogado na área. O primeiro do São Paulo, também de pênalti, convertido por Rogério Ceni, foi questionado pelos santistas, que não concordaram com a marcação de mão na bola de Maldonado dentro da área.

O gol da virada são-paulina, anotado por Thiago, também teria sido irregular. Antes de cruzar para o atacante, o ala-esquerdo Junior estaria em posição irregular, após receber passe de Aloísio.

Se não bastassem esses três lances, o árbitro Rodrigo Cintra beneficiou o Santos, no início do jogo, ao anotar impedimento equivocado do volante Josué, que abriria o placar.

O jogo

O treinador santista Vanderlei Luxemburgo deixou para dar a escalação momentos antes do início clássico. E surpreendeu. Sacou Rodrigo Tabata e o zagueiro Ronaldo. Para os seus lugares, o treinador santista escalou Magnum, que havia anotado dois gols na vitória sobre o Bragantino, e Domingos.

Do outro lado, Muricy Ramalho manteve o tradicional esquema 3-5-2. Leandro continuou na ala-direita, enquanto Edcarlos substituiu André Dias, contundido, na zaga.

Logo aos 4min, o Santos foi beneficiado após o árbitro Rodrigo Martins Cintra anotar equivocadamente impedimento do volante Josué, que completou para o fundo da rede após cruzamento de Danilo.

Até quase metade da etapa inicial, o Santos quase não conseguiu passar do meio-campo. Magnum e Léo Lima estavam bem marcados. Com isso, Reinaldo estava isolado no ataque e pouco criava.

Para piorar, o time da Vila Belmiro esteve muito recuado. Com isso, o São Paulo foi para o ataque e quase abriu o placar. Aos 18min, Thiago fez boa jogada e chutou em cima de Fábio Costa. Após defender com a perna, o goleiro santista deu um tapa na bola, que bateu no travessão e na trave do lado esquerdo, antes de Maldonado evitar o gol adversário.

Apesar de pressionado, o Santos foi eficiente em um de seus primeiros ataques. Novamente com participação da arbitragem. Aos 23min, Rogério Ceni não conseguiu segurar a falta cobrada por Léo Lima.

No rebote, em um lance duvidoso, o árbitro viu um empurrão de Edcarlos em Reinaldo e anotou pênalti. Léo Lima bateu e fez o gol santista.

Aos 40min, outra jogada polêmica. Aloísio foi derrubado dentro da área, e o árbitro Rodrigo Cintra anotou pênalti. Só que ele se esqueceu de olhar para o assistente, que havia marcado posição irregular do atacante são-paulino. O juiz voltou atrás e deu impedimento.

Quatro minutos mais tarde, mais uma penalidade, desta vez a favor do São Paulo. E novamente numa jogada duvidosa. O árbitro viu mão de Maldonado dentro da área. Rogério Ceni cobrou e empatou a partida.

Ao contrário da primeiro tempo, o Santos voltou ofensivo para etapa final. O São Paulo já não encontrava muitos espaços. Mesmo assim, essa aparente melhora foi prejudicada com a expulsão do zagueiro Luiz Alberto, aos 11min, que fez falta em Josué e recebeu o segundo cartão amarelo.

O São Paulo voltou a pressionar. E aos 28min, Aloísio rolou para Junior, que, em posição duvidosa, cruzou para Thiago fazer o gol da virada são-paulina.

Já nos acréscimos, aos 47min, Júnior cruzou da esquerda para Alex Dias chutar forte e marcar o terceiro, adiando a decisão do Estadual para a próxima semana.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o São Paulo
  • Leia o que já foi publicado sobre o Santos
  • Leia mais notícias no especial do Campeonato Paulista-2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página