Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/11/2001 - 15h25

Antigos cines Bristol e Liberty dão lugar a sete salas multiplex em SP

Publicidade

ADRIANA RESENDE
da Folha Online

Os antigos cinemas Bristol e Liberty, tradicionais salas fundadas na avenida Paulista, em São Paulo, na década de 70, vão se transformar até a primeira metade de 2002 em sete novas salas de cinema do tipo multiplex.

Estes cinemas fazem parte do chamado Circuito Sul, que abrange cerca de 40 cinemas, desde os tradicionais Bristol e Liberty, no shopping Center 3, até as modernas salas dos shoppings Paulista e Iguatemi.

Apesar de fazerem parte da história da cidade -que atualmente tem 243 salas de cinema, das quais 45 no Circuito Sul- o Bristol e o Liberty foram fechados no fim de 1998.

História

Com mais de 50 anos de existência, a Companhia Cinematográfica Sul Paulista vendeu, em 1996, todas as salas do circuito para a PlayArte, distribuidora de cinema, vídeo e DVD.

Os cines Bristol e Liberty, fundados em 1970, foram fechados dois anos depois, com o objetivo de reformar e modernizar as salas.

Os cinemas já tiveram escadas de madeira, paredes cobertas com tecido xadrez e tapete vermelho forrando o chão. Juntas, as duas salas tinham capacidade para 1.475 lugares e foram sede de pré-estréias de gala durante mais de 20 anos na capital paulista.

Porém, más condições de segurança provocaram dois grandes incêndios no prédio, um em 1987 e outro em 1990.

Depois do primeiro incêndio, os cinemas passaram por diversas interdições por parte do Contru (Departamento de Controle do Uso de Imóveis), órgão da prefeitura que faz vistoria periódica em estabelecimentos comerciais.

O novo projeto

Segundo Otelo Bettin Coltro, vice-presidente executivo da PlayArte, que comprou o Circuito Sul, a distribuidora foi também a primeira a construir um espaço multiplex -conjunto de salas de cinema de nova geração- no país, no shopping ABC, em Santo André (Grande São Paulo).

Divulgação
Projeto do hall dos cinemas
A idéia da PlayArte é repetir o projeto de 1997, fazendo dos cines Bristol e Liberty o segundo multiplex do grupo, que deve exibir filmes comerciais -nacionais e estrangeiros- e filmes de arte. As salas terão capacidades variadas, entre 100 lugares e 500 lugares.

"Escolhemos os cinemas do Circuito Sul, por ser o circuito com maior número de salas, mais bem localizado e que teria melhores possibilidades de expansão, de transformação em multiplex", disse Coltro.

O projeto é do arquiteto Ruy Ohtake, que tem 30 anos de carreira e já idealizou construções modernas como o edifício Berrini 500, na avenida Luís Carlos Berrini (zona sul), e o Complexo Ohtake Cultural, em Pinheiros (zona oeste).

"O Ruy Ohtake aceitou o trabalho porque quer vencer o desafio de trabalhar com cinemas. Ele será responsável não só por este, mas também pelos próximos multiplex que vamos fazer, mais um no segundo semestre do ano que vem e dois a cada ano, em 2003 e 2004", afirmou.

"Criamos um conceito nosso de multiplex, com base no que vimos fora do Brasil. Não chega a ser um parque de diversões, mas não é sóbrio como as casas tradicionais", disse o vice-presidente da empresa.

O engenheiro responsável pela obra, Luís Eduardo Maria Zelzi, da Método Engenharia, fala de algumas mudanças previstas. Além de reformar os elevadores, o complexo vai ganhar escadas rolantes no lugar das rampas. Serão também ampliadas as acomodações anexas, como banheiros e bomboniéres.

Para isso, segundo Zelzi, o shopping também vendeu ao grupo parte da área construída do prédio.

As salas terão decoração "moderna e arrojada", segundo Coltro, da Playarte. "Teremos decoração em estilo hollywoodiano, queremos transportar o espectador a Hollywood. Mas não esquecemos o toque brasileiro, com motivos alusivos a São Paulo e à avenida Paulista", afirmou.

Haverá equipamento de som digital em todas as salas e poltronas "namoradeiras" -em que o braço da cadeira levanta- em todos os assentos. Parte do equipamento é importada.

Ao todo, entre compra de equipamentos e reforma das salas, o projeto está orçado em R$ 10 milhões. A obra, que deveria ter sido iniciada em 99, atrasou devido à burocracia para liberação do empreendimento e ao desenvolvimento do projeto, que começou em outubro e deve ficar pronto no final de maio ou no início de junho de 2002.

Leia mais:

  • Veja como fica o circuito dos cinemas da av. Paulista

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página