Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/12/2001 - 09h37

Ibope do SBT cresce 42% no ano; Globo cai 12%

Publicidade

DANIEL CASTRO
colunista da Folha

Com o sucesso de "Casa dos Artistas" e das novelas mexicanas, o SBT registrou um crescimento de 42% em sua média de audiência no horário nobre (das 18h às 24h), de janeiro à primeira quinzena de dezembro de 2001.

No mesmo período, a audiência média da Globo caiu 12% no Ibope da Grande São Paulo.

São números expressivos, embora ainda parciais. Mas a realidade é que o SBT deve anular em 2001 o crescimento que a Globo teve em 2000. E voltará aos patamares de audiência de 1999, quando o "Programa do Ratinho" ainda estava no auge.

O SBT tinha em janeiro deste ano 12 pontos de média das 18h às 24h, contra 34 da Globo no horário. Impulsionada pelas performances das mexicanas infantis "Serafim" e "Carinha de Anjo", e depois por "Pícara Sonhadora", a média do SBT foi crescendo e chegou a 16 pontos em outubro. Com "Casa dos Artistas", saltou para 17 na primeira quinzena de dezembro, contra 30 da Globo nos mesmos horário e período.

De janeiro a novembro de 2000, comparado ao mesmo período de 99, a Globo cresceu 6% (de 31 pontos para 33). O SBT caiu 18% em 2000 (de 17 pontos em 99 para 14). Neste ano, o SBT tirou pontos da Globo, da Record e da Band.

A média do SBT em dezembro sobe para 18 pontos se somada a final de "Casa dos Artistas", que bateu o recorde de audiência da emissora -média de 47 pontos.

Merchandising

Além do recorde de audiência, "Casa dos Artistas" fez a Globo engolir outras humilhações. A Fiat, que patrocinou "No Limite 2", inaugurou merchandising no programa da concorrente. E o patrocinador do "Fantástico", Casas Bahia, emplacou seis filmes consecutivos em intervalo de "Casa dos Artistas".

Leia mais notícias sobre "Casa dos Artistas"
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página