Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/04/2002 - 03h54

Globo começa a gravar "Vale Tudo" em espanhol

Publicidade

CARLA MENEGHINI
FREE-LANCE PARA A FOLHA

QUEM matou Odete Roitman? O público brasileiro não esquece esta pergunta e o mistério que marcou o final de "Vale Tudo", novela de Gilberto Braga, exibida pela TV Globo em 1988.

Animada com o sucesso da trama no Brasil e no exterior -já foi comprada por emissoras de 32 países-, a emissora começou a gravar nesta semana, no Rio, a versão em espanhol do folhetim, "Vale Todo", que será exibida a partir de 17 de junho, às 21h, pela Telemundo, braço hispânico da rede norte-americana NBC.

"O mercado norte-americano é nossa opção para crescer; aqui no Brasil, já chegamos ao máximo de expansão", diz a diretora-geral da TV Globo, Marluce Dias da Silva. Cada capítulo custará cerca de US$ 63 mil, valor dividido igualmente entre as duas emissoras.

A Globo receberá uma quantia fixa por cada ponto de audiência atingido, e a emissora hispano-americana ficará com a receita dos comerciais. "Na verdade, não é um "remake" de "Vale Tudo", mas uma novela inspirada na trama original de Gilberto Braga", afirma o diretor José Paulo Vallone.

A vilã Odete Roitman, vivida por Beatriz Segall na versão original, vai se chamar Lucrécia, nome mais comum nos países de língua espanhola. Além disso, foram retiradas da trama as lésbicas interpretadas por Cristina Prochaska e Lala Dehenzelin, e alguns personagens ganharam novos perfis. Um núcleo de mexicanos que mora no Brasil e um novo triângulo amoroso, que envolve a protagonista Raquel (Regina Duarte), são outras novidades.

A maioria das cenas será gravada em estúdio, com cenários de cores fortes e muitos closes. O toque brasileiro fica por conta das tomadas externas, que mostrarão com poesia a paisagem carioca, e da flexibilidade do roteiro. "As novelas hispânicas são entregues pelos autores com a trama finalizada; já as brasileiras são escritas paralelamente à exibição, de acordo com a receptividade do público", diz o presidente da Telemundo, Jim McNara.

O autor da adaptação garante que permanece intacta a essência de "Vale Tudo": o conflito entre a honestidade e a ambição, que na trama de Gilberto Braga estava inserido no contexto de corrupção do final dos anos 80. "Tive de tratar a questão de uma forma universal e colocar referências hispânicas", conta Yves Dumont, que adaptou o texto.

Um exemplo dessas referências é a questão dos imigrantes ilegais latino-americanos que vivem nos EUA, representada pelo personagem Pablo.

Mas o foco principal da trama será mantido no embate entre a humilde e honesta Raquel (agora a mexicana Itati Cantoral) e sua ambiciosa filha Maria de Fátima (papel de Glória Pires, entregue à também mexicana Ana Claudia Talacón.

Elenco >

"Vale Todo" conta com um elenco composto por uma mistura de nacionalidades -11 mexicanos, cinco cubanos, três venezuelanos, três colombianos, três peruanos, um argentino, uma porto-riquenha e uma uruguaia- proporcional à composição da comunidade hispânica dos EUA (cerca de 35 milhões de pessoas).

Os 28 atores ficarão cerca de oito meses no Rio, alojados pela Globo em hotéis ou apartamentos, e terão aulas para atenuar seus diferentes sotaques.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página