Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/07/2002 - 06h26

"Sou meu ator preferido", diz Samuel L. Jackson

Publicidade

free-lance para a Folha, em San Francisco

Em "Star Wars - Episódio 2: Ataque dos Clones", Samuel L. Jackson, 52, vive o sério e compenetrado jedi Mace Windu; na entrevista à Folha, mostrou-se bem diferente do personagem.

Folha - É verdade que você pediu a Lucas para usar uma espada de luz de cor exclusiva no filme?
Samuel L. Jackson -
Gosto de roxo e, já que ele estava criando tudo, achei que podia ser de qualquer cor. Mas aí ele me explicou que os caras bons usam uma cor e os malvados, outra. (risos)

Folha - Qual foi sua impressão de "Guerra nas Estrelas", há 25 anos?
Jackson -
Achei que era o novo Errol Flynn [(1901-59), ator de filmes de aventura", com tantas naves espaciais, foguetes e lugares exóticos que os personagens de Lucas visitavam.

Folha - Como foi fazer as cenas com Yoda, que é fazê-las sozinho, já que a imagem dele foi inserida depois, por computador?
Jackson -
Adoro trabalhar comigo mesmo. Sou meu ator preferido. Mas falando sério, na verdade foi fácil, pois não tive que me preocupar se o outro ator tinha decorado suas falas.

Folha - Se você gosta tanto de se assistir no cinema, não deve gostar de fazer teatro.
Jackson -
Um dá gratificação imediata, e outro, a longo prazo. No teatro você faz algo que tem começo, meio e fim todos os dias. E sente que está dividindo sua energia com o público. Ao fazer cinema, você tem que ter auto-confiança e sentir quando a cena está certa.

Leia mais notícias sobre "Star Wars 2"

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página