Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/12/2002 - 10h38

Brasil ganha Museu das Artes Gráficas com 7 mil trabalhos

DIEGO ASSIS
da Folha de S.Paulo

Organização, já é sabido, não costuma ser o forte de nenhum artista. Isso é coisa de fã. E são justamente estes últimos que resolveram dar forma ao Museu das Artes Gráficas do Brasil, que abre hoje, no prédio do Arquivo do Estado, em Santana, com um acervo de cerca de 7 mil trabalhos separados nas categorias cartum, charge, caricatura, HQs e ilustração -não, não é tudo a mesma coisa.

Sob a direção de Gualberto Costa, responsável há 14 anos pela realização do Troféu HQ Mix, e Douglas Quintas Reis, da editora Devir, o MAG já nasce ambicioso: é talvez um dos mais completos entre os 83 museus dedicados às artes gráficas em todo o mundo.

Além do extenso acervo de originais, obtidos por meio de doações feitas por 177 artistas contemporâneos em nome da preservação de suas obras, o MAG deverá contar, até o ano que vem, com uma biblioteca especializada de 12 mil livros, arquivo digital para consulta, livraria, cursos profissionalizantes e outras idéias.

"Queremos atuar junto aos salões de humor e aos artistas nacionais, realizando acordos de parceria", afirma Daniela Rangel Baptista, 31, diretora executiva e financeira do MAG.

O museu, apoiado formalmente em um recém-criado Instituto das Artes Gráficas do Brasil, pretende ainda criar valor de mercado para as obras de artistas já mortos que, normalmente, acabam sendo herdadas pelas famílias. "Muitas vezes os familiares vêem aquilo só como um monte de papéis dentro de casa e acabam perdendo", diz Baptista, confiante no know-how de conservação e restauro do Arquivo do Estado, que guarda hoje documentos tão antigos quanto a própria cidade de São Paulo.

Para botar mãos à massa, duas exposições dão início hoje às atividades do museu: uma delas trazendo um exemplar de cada artista abrigado pela instituição e outra dedicada à obra do cartunista Laerte, na qual estarão expostos desde os seus trabalhos realizados para a Folha, como as tiras e HQs dos "Piratas do Tietê", até os primeiros rabiscos do artista desenhados em papel de embrulhar pão.

Estarão presentes à inauguração o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, o secretário de cultura Marcos Mendonça, e artistas como Lailson, Fred, Jô Oliveira, Lelis, Ziraldo, Jal e Angeli.

MUSEU DAS ARTES GRÁFICAS DO BRASIL
Quando: hoje, às 19h
Onde: Arquivo do Estado (r. Voluntários da Pátria, 596, Santana, SP, tel. 0/xx/11/ 6221-4785 r. 254)
Quanto: entrada franca
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página