Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/02/2003 - 04h50

Historiador inglês Christopher Hill morre aos 91anos

da Folha de S.Paulo

Autor de estudos considerados fundamentais para a compreensão do século 17 e biógrafo de Oliver Cromwell ("God's Englishman"), o historiador inglês Christopher Hill morreu na última segunda, aos 91 anos de idade. A causa da morte não foi divulgada.

Em edição brasileira, sua obra sobre Cromwell (1599-1658) -líder antimonarquista da Guerra Civil Inglesa- tem o título de "O Eleito de Deus - Oliver Cromwell e a Revolução Inglesa" (Companhia das Letras).

"Ele [Hill" é a razão pela qual a maioria de nós sabe alguma coisa da história do século 17", escreveu o jornal inglês "The Guardian", ao noticiar a morte do historiador.

Com a publicação, em 1940, do ensaio "A Revolução Inglesa de 1640", Hill deu início à revisão histórica do período. Ele confronta a avaliação de que a guerra civil havia sido uma aberração no curso da história da Inglaterra.

As discussões que se seguiram à publicação do ensaio terminaram com a criação do grupo de historiadores do Partido Comunista, em 1946. Integravam o grupo pensadores como Eric Hobsbawm, James Jeffreys, Maurice Dobb e Edmund Dell. A partir dos debates desses intelectuais surgiram trabalhos como "The Good Old Cause" (A Boa Velha Causa), publicado por Hill e Dell em 1949.

Socialista e leitor de Marx, Hill passou o ano de 1935 na União Soviética, quando se interessou pela vida cotidiana na Rússia, além de sua história política.

Crítico à relutância do Partido Comunista em condenar a invasão da Hungria pela União Soviética em 1956, o historiador acabou abandonando o partido.

A partir de 1957 começam a ser publicados seus textos mais conhecidos, como "Puritanism e Revolution" (Puritanismo e Revolução, 1958), "Origens da Revolução Inglesa" (1965) e "O Mundo de Ponta-Cabeça" (1972), em que analisa os diferentes grupos que desafiaram a monarquia durante o século 17.

Hill era viúvo e havia se aposentado como professor do Balliol College da Universidade de Oxford, onde trabalhou de 1965 a 1978.

Depois da aposentadoria, lançou obras como "Some Intellectual Consequences of the English Revolution" (Algumas Consequências Intelectuais da Revolução Inglesa, 1980) e "The Experience of Defeat" (A Experiência da Derrota, 1984).

Considerado um pensador polêmico, foi criticado por outros historiadores e recebeu diversos prêmios por sua obra.

No Brasil, a obra de Hill foi editada pela Companhia das Letras ("O Eleito de Deus", "O Mundo de Ponta-Cabeça") e pela Martins Fontes ("Origens Intelectuais da Revolução Inglesa").
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página