Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/04/2003 - 09h34

Letras do novo CD de Kelly Key devem levar a novas polêmicas

da Folha Online

Estrela da campanha de combate à Aids no Carnaval, Kelly Key lança nesta semana um novo CD e deve voltar ao centro de polêmicas, graças às letras do seu novo trabalho, como aconteceu no seu primeiro álbum, com "Baba Baby".

Convenha-se que o CD é sujeito a críticas, sim. Logo na música de lançamento, "Adoleta" (aquela conhecida brincadeira de infância), já lança em um refrão: "Te chamo pro cinema, você tem que estudar/E quando você sai, sempre tem hora pra voltar".

Reprodução
A capa do novo CD de Kelly Key
Questionada se isso não pode instigar crianças e adolescentes a não estudarem, ela nega. A cantora falou com a imprensa na segunda-feira, dia 28, sobre o novo CD. "A música não diz para largar o estudo de maneira nenhuma. A letra não é minha, é do Gustavo Lins. Numa música a gente interpreta um personagem", afirmou.

A cantora chegou a se irritar com as perguntas dos repórteres e questionou em que momento fala em "largar os estudos". "Todo jovem tem de aproveitar a vida", rebateu a cantora pop.

"Muitos pais acham que a infância é só o estudo. Ele [adolescente] acaba perdendo outras coisas da juventude, essa coisa toda de namorar que é bom, brincar e se divertir. Não é largar os estudos, não. E eu não sou a pessoa mais indicada para dizer: 'vai estudar!'. Mas não estou dizendo para ninguém largar o estudo, de maneira nenhuma."

Temática

Os relacionamentos amorosos são a tônica do novo CD de Kelly Key, que tem uma musicalidade mais para o infantil e as letras para adultos. O CD, segundo ela, está repleto de "mensagens para os adolescentes".

Em outra música, "Não Sou Tão Fácil Assim", a ênfase é a pressão exercida pelos namorados para a primeira transa. "O jovem, hoje em dia, tem muito medo de perder o namorado. Acha que a primeira vez tem que acontecer agora porque isso une o casal e fará o relacionamento durar mais tempo. Essa música diz exatamente para o adolescente ter calma, que não é bem assim. A pessoa que ama espera o momento certo. A canção diz que a mulher não precisa ser fácil para despertar o interesse de um homem", afirma.

"Adoleta", a música que promete tocar tanto nas rádios até grudar na cabeça do público, fala do relacionamento com um menino mais novo e dos "problemas" da adolescência. Dizem que é uma resposta a "Baba, Baby", quando a situação era inversa.

Embora se surpreenda com seu sucesso com as crianças, Kelly Key afirma que as músicas de "Do Meu Jeito", lançado pela Warner Music, foram feitas para o público jovem.

"Eu quis continuar na mesma linha, que era como eu estava agradando meu público jovem e meu público infantil, mas acho que a 'Adoleta' é tanto para crianças quanto para adolescentes. É uma brincadeira de criança e o adolescente vai entender muito bem o que está por trás daquela história do Adoleta", disse a cantora.

Kelly Key por Kelly Key

Diferentemente do primeiro CD, "Kelly Key" (2002), que traz algumas músicas autobiográficas, o novo ("Do Meu Jeito", 2003) tem apenas uma. As demais são assinadas por compositores como Gustavo Lins e Andinho.

"É óbvio que 'Então Beija' é autobiográfica. Em todas as outras eu tento passar uma mensagem. Em 'A Loirinha, o Playboy e o Negão' passo uma mensagem sobre preconceito, não só contra o negro, mas também contra gays e pessoas um pouco mais cheinhas. Como eu também sofri preconceito das ONGs quando fiz a campanha do Ministério da Saúde para o uso da camisinha, senti na pele o que é. Ver as pessoas te olhando torto, imaginando uma coisa que você não é."

Novidade

O novo CD tem uma participação especial do namorado da cantora, o angolano Mico Freitas, em uma faixa "surpresa" que começa a tocar alguns minutos depois que a última música termina. "Só Pra Te Provocar", segundo ela, não é autobiográfica, apenas uma "brincadeira que deu certo".

"A música não foi feita para entrar no CD. Resolvemos fazer uma brincadeira com ele cantando comigo. Esse meu lado brincalhão não podia deixar de faltar. A música está bem bacana", afirmou.

Segundo ela, o CD não tem respostas ao cantor Latino, com quem foi casada e tem uma filha de 2,5 anos. "Não é uma resposta. Foi uma música ("Corta Essa") que eu aceitei gravar no meu CD porque conta histórias importantes. Falo muito sobre relacionamento porque hoje o momento do jovem são os namorados, os ficantes e essa coisa de beijar na boca. Por acaso, pode até ser que tenha a ver com a minha vida, assim como pode ter a ver com outras pessoas."

Leia mais
  • Para Kelly Key, adolescente não gosta de política
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página