Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/09/2007 - 08h30

"High School Musical 3" encerra história, afirma diretor

Publicidade

LUCAS NEVES
da Folha de S.Paulo

Atual galinha dos ovos de ouro da Disney, a franquia "High School Musical" tem seu segundo filme exibido no Brasil no próximo dia 7, às 20h, no Disney Channel. A transmissão original nos EUA bateu recordes de audiência na TV paga, a trilha sonora estreou no topo da parada de discos e o conglomerado enche os bolsos com toda sorte de merchandising imaginável.

Chris Pizzello/AP
Em nota, Vanessa Hudgens pediu fãs desculpas por fotos de nudez
Em nota, Vanessa Hudgens pediu desculpas por fotos de nudez

Nos últimos 15 dias, entretanto, a divulgação na internet de fotos da atriz Vanessa Hudgens (a protagonista Gabriella) como veio ao mundo tirou o sono dos executivos do estúdio --que, até então, viam na candura do elenco jovem a propaganda perfeita para seu compromisso com o "entretenimento para a família".

Pouco antes do episódio, o diretor dos dois primeiros telefilmes, Kenny Ortega, falou à Folha sobre o sucesso da franquia e a preparação do terceiro título, que será lançado nos cinemas. "Tenho a impressão de que o terceiro filme, que deverá focar o último ano escolar dos personagens, servirá de encerramento para suas histórias. Depois dele, poderá haver outras encarnações, talvez uma próxima geração de "HSM"."

Antes de passarem o bastão, Troy, Gabriella, Chad e cia. vão veranear, em "HSM 2", no clube da família de Sharpay e Ryan. Todos arranjarão empregos temporários, mas Sharpay, de olho em Troy, lhe oferecerá uma função mais nobre. O novo posto o afastará dos velhos amigos. A porção musical ficará por conta de um show de talentos organizado no clube.

No hiato entre os episódios 2 e 3, as músicas e coreografias de "HSM" percorrem os EUA e o mundo, num show (que passou por São Paulo em maio) e num recém-estreado espetáculo sobre patins ("ópera-rock no gelo", segundo Ortega), que aporta no Brasil em janeiro de 2008. O "bombardeio" não pode desgastar a franquia prematuramente? "Existe a possibilidade, mas é fato que Mickey Mouse está aí há mais de 60 anos", esquiva-se o diretor.

Para encerrar, Ortega resume o sucesso de "HSM" como manda a cartilha Disney: "Isso é o que a música, a dança e mensagens do coração fazem".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página