Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
31/12/2007 - 19h33

Ator Olayr Coan é enterrado no interior de SP

Publicidade

da Folha Online

O ator, autor e diretor teatral Olayr Coan foi enterrado no fim da tarde desta segunda-feira em Porto Feliz, no interior de São Paulo. Coan morreu na madrugada de sábado, em decorrência de um um acidente automobilístico na rodovia Castello Branco.

O artista estava no elenco do espetáculo "O Mala", com estréia prevista para a sexta (4) no Teatro Folha, em São Paulo.

Segundo a assessoria de imprensa da peça, o ator participou dos ensaios da peça realizados ontem à noite. Depois, partiu rumo a Porto Feliz, sua cidade natal, onde passaria o Ano Novo com a mãe e os cinco irmãos, mas acabou sofrendo o acidente.

13.abr.2001/Gustavo Roth/Folha Imagem
Olayr Coan morreu aos 48 anos em acidente automobilístico na rodovia Castello Branco
Olayr Coan morreu aos 48 anos em acidente automobilístico na rodovia Castello Branco

Ainda não foi definido se a estréia de "O Mala" será adiada. A equipe do espetáculo deve se reunir na próxima quarta-feira (2) para tomar essa decisão.

Solteiro e sem filhos, Olayr Coan completaria 49 anos em 7 de janeiro.

Entre os últimos trabalhos do artista, destacam-se "Toda Nudez Será Castigada", de Nelson Rodrigues, peça na qual atuou, em 2006. Dirigiu, em 2007, o espetáculo "Drácula" --experiência de rádio-teatro inspirada no clássico de Bram Stocker--, no Teatro Cultura Inglesa, em São Paulo, e "A Lua sobre o Tapete", que fez temporadas de sucesso no Centro Cultural São Paulo e no Teatro Fábrica São Paulo.

Em 1998, Olayr Coan foi indicado ao Prêmio Shell de melhor ator em São Paulo, por sua atuação no monólogo "A Confissão de Leontina", adaptação do famoso texto de Lygia Fagundes Telles. Nos últimos anos, ele também ministrou cursos de montagem e interpretação teatral, em instituições como Faap e Escola de Atores Wolf Maya.

Formado pela Escola de Arte Dramática (EAD-USP), Olayr Coan integrou o Centro de Pesquisa Teatral (CPT), dirigido por Antunes Filho, onde trabalhou em 'Macunaíma', 'Nelson 2 Rodrigues' e 'Romeu e Julieta'.

Como diretor, Olayr Coan esteve à frente de "Laranja Mecânica", espetáculo baseado na obra de Anthony Burgess, e "Veríssimo em Revista", de Luís Fernando Veríssimo, entre outros. O artista produziu ainda alguns textos, que se tornaram as peças "Em Falsete", "A Língua Perdida", "TV or Not TV", "Papo de Anjo", "Onde Fica o Leste", "O Bar", "Estranho Amor" e "A Traída".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página